The way everyone can enjoy it!

sábado, 9 de dezembro de 2017

It Comes at Night


Um dos filmes mais aguardados de 2017 e que é aclamado pela a crítica como um dos melhores do ano mas não pelo o público. O filme teve como bilheteira 19.3 milhões de dólares, um valor modesto para um filme tão bem vendido pelos media. Este é daqueles filmes que divide opiniões, principalmente entre a crítica e o público, sendo que a crítica o venera e o público nem por isso.
A história relata a vida de uma família isolada na sua casa, devido a uma "doença" contagiosa que dominou o mundo. A acção começa quando um estranho vem lhes bater à porta pedindo ajuda para si e para a sua família. Quando Will traz a sua família para o abrigo de Paul, tudo muda e as coisas começam a ficar estranhas, fazendo com que a família de Paul comece a desconfiar se alguém dos novos inquilinos estará doente.
Este filme é daqueles que nos cria expectativas, e quem for daqueles que gosta de ver as rates dos filmes em sites como o Rotten Tomatoes ou no Metacritic ou outros do género, irá ver que o que nos "vendem" é que este será um dos melhores do ano, mas quem vir o filme vai se a perceber rapidamente que não será bem assim, algo que também aconteceu com o filme The Witch em 2016. Isto não quer dizer que o filme seja mau ou que não vale a pena, mas está longe de ser uma obra prima ou um filme fora do normal, aliás o filme não traz nada de novo, tendo misturado algumas coisas que o tornam confuso, não havendo grandes explicações para maior parte das coisas interessantes do filme como, o que é a "doença", como apareceu, como é que as pessoas são afectadas e o porquê de ter mais impacto à noite. Perguntas que o filme não responde, focando-se mais na relação entre as duas famílias que ocupam o mesmo espaço. O filme consegue entreter até ao fim, mas no final fica uma sensação de que pouco se obteve para se perceber tudo o que se passava no ambiente à volta da história principal. Mesmo assim o filme é interessante, nem que seja para perceber o porquê dos media o terem tentado vender tão fortemente, pois alguma coisa este filme terá para despertar o interesse de tantos, simplesmente a mim não o conseguiu fazer.


Pontos Positivos:
- Representação
- Produção

Pontos Negativos:
- História
- Pouco Terror

Rate: 6/10

domingo, 3 de dezembro de 2017

Annabelle: Creation


O segundo filme do spin-off da saga The Conjuring que começa a criar um universo de histórias e filmes por si próprio, sendo este a origem de uma das personagens mais misteriosas da saga. O filme foi um grande sucesso, tendo 305.8 milhões de dólares de bilheteira, com um orçamento de 15 milhões de dólares. As críticas têm sido de modo geral positivas, recuperando as expectativas depois do fracasso do primeiro filme.
A história começa com uma família rural que era bastante feliz até ao dia em que a menina Annabelle morre num acidente. Doze anos depois a família Mullins recebe um grupo de jovens órfãs e uma freira que pretendem ficar por uns tempos. A acção começa a ganhar intensidade quando uma das raparigas começa a perceber que algo de estranho se passa naquela casa, desencadeando uma série de eventos paranormais que faz temer o pior.
Esta sequela do filme Annabelle consegue o que o primeiro não faz, primeiro dar a conhecer melhor a personagem que é importante para a saga, mas que para mim continua mal explicado pois não explora a origem do demónio e o porquê deste querer aquela família e entrar na boneca. Mas tirando este pormenor e o facto de apesar da história ser bem contada, dos cenários que fazem lembrar o primeiro The Conjuring, de ter os elementos que fazem as pessoas saltarem da cadeira, o processo torna-o previsível e, para muitos, torna-o também pouco interessante, pois quem é fã de terror já viu todos aqueles "truques" para assustar os espectadores antes. O filme não deixa de ser um dos melhores filmes deste ano em termos de terror, não fosse ele da saga que tem encantado os fãs de terror nos últimos anos, ajudando também a explorar melhor os mistérios que a saga traz, criando também outros, o que gera uma vontade de ver o que vêm aí de novo para a saga. Em suma é um filme bem conseguido que ajuda na credibilidade nesta saga de terror moderno.


Pontos Positivos:
- Cenários
- Cenas de Terror
- Efeitos

Pontos Negativos:
- Origem do Mal
- Falta de Originalidade 

Rate: 7/10

domingo, 8 de outubro de 2017

Cult of Chucky



O sétimo filme da saga do boneco mais querido do terror a ir directamente para DVD, sendo uma sequela directa do filme anterior. O filme não tem dados de bilheteira, tendo só estado em alguns festivais de cinema. As críticas têm sido mistas, mas havendo já alguns críticos e fãs referindo o filme como o inicio de um novo futuro para a saga.
A história começa quando Nica vai para uma instituição psiquiátrica, depois de ser avaliada como tendo problemas mentais. Numa das reuniões de grupo, Dr Foley traz um boneco Good Guy para ajudar na terapia, sendo que Madeleine fica como ele e trata-o como um filho, a acção começa a intensifica-se quando Nica recebe uma visita e lhe é entregue outro boneco, começando aí os problemas e o terror espalhado pelo o querido Chucky.
Primeiro para começar, este é uma sequela que ninguém pediu e que estraga muito do que foi feito no filme anterior, que até foi bastante competente no que toca a respeitar o que de bom se tinha feito até ali, o que não acontece com este filme. Apesar das boas representações dos actores e de terem escolhido um lugar interessante e já por si propicio ao terror, a história não consegue criar ligações emocionais a nada nem às vitimas nem ao assassino, sendo por vezes confuso e falhando na ligação de terror/ comédia que já por si é difícil de ter sucesso e que tem de ser muito bem feita para ser credível, já os efeitos, principalmente do Chucky, deixam muito a desejar o que torna o filme ainda mais doloroso de ver. Mas não deixo de perceber o conceito e a razão para alguns acharem que com este filme as coisas vão mudar na saga, mas isso não quer dizer que seja para melhor, a não ser para fazerem o que fizeram com quase todas as sagas de terror, torna-las em paródias do seu próprio passado. O filme é daqueles que é bom para quem quiser completar a saga e aqueles que fazem colecção, havendo já caixas com os 7 filmes para coleccionar, a par disto o filme não deixa nada a desejar e é uma perca de tempo para quem quiser ver um bom filme de terror. 


Pontos Positivos:
- Representação
- Cenários

Pontos Negativos:
- História
- Efeitos
- Sequela desnecessária
- Combinação terror/comédia

Rate: 4/10

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Life


Um filme de terror no espaço que nos traz mais uma tentativa falhada de ser o próximo Alien. O filme teve um grande sucesso tendo 100 milhões de dólares de bilheteira com um orçamento de 58 milhões de dólares. O filme tem tido críticas positivas, mas não sendo considerado uma obra-prima nem do terror nem da ficção cientifica.
A história conta a vida de um grupo de tripulantes de uma exploração a Marte, que quando regressa descobre algo que parece ter vida. A acção intensifica-se quando os membros da tripulação começam a investigar o que tinham encontrado e descobrem que o ser é mais perigoso do que parece, tendo que fazer tudo para sobreviverem num local onde não podem fugir.
O filme é interessante e tem as suas qualidades, sendo que aqui o problema acaba por ser a sua qualificação, que muitas vezes sai ao lado, de filme de terror. Sim, o filme tem algumas coisas que assustam, mas não passa de um filme de thriller espacial, que apesar de usar uma receita já conhecida e bastante utilizada, fa-lo bem e com qualidade, desde da sua parte gráfica até à qualidade dos actores e da sua representação mas não o consegue fazer no seu enredo. Mesmo assim, e só o tempo dirá, o filme não deverá ficar para história, a não ser como um filme de culto daqui a uns 10 ou 20 anos. Em suma o filme é médio mas entretêm quem o vê, apesar de não conseguir criar momentos de terror que nos façam saltar da cadeira e como alguns dizem, este Life é algo sem vida, é salvo pelas suas qualidades gráficas e de representação. 


Pontos Positivos:
- Representação
- Efeitos Especiais

Pontos Negativos:
- Pouco Terror
- Originalidade

Rate: 6/10

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Children of the Corn


O primeiro filme da saga baseada numa pequena história do grande escritor de terror Stephen King com o mesmo nome. O filme foi um sucesso, conseguindo 14,5 milhões de dólares de bilheteira, com um orçamento de 800 mil dólares. As criticas ao filme têm sido mistas, não sendo o melhor filme baseado nas obras de Stephen King, mas mesmo assim conseguiu tornar-se um filme de culto.
A história relata a vida de uma vila que sofreu um ataque pelo um grupo religioso constituído por crianças, matando todos os adultos dessa vila. O enredo continua quando Vicky e Burn depois de se perderem na estrada chegam à vila e percebem que algo se passa, tendo de enfrentar o grupo radical com ajuda de dois irmãos que não quiseram participar no grupo, para conseguir sair daquele lugar vivos.
Este é daqueles filmes clássicos de culto que até são difíceis de encontrar e que nos aguça o interesse por isso mesmo, mas quando o conseguimos ver tudo é explicado, pois este não é um filme comum de terror, um filme que tenha imagens que assustem ou cenas chocantes, mas, e muito ao estilo de Stephen King, o terror está no conceito e no psicológico, mostrando que o fanatismo, principalmente religioso, pode chegar a acções extremas, sendo difícil fazer quem participa mudar de ideias. O filme em si é interessante e conta uma história bem contada que nos faz pedir mais, não tanto como os que nos deram, mas sim mais um ou dois filmes para explorar melhor os conceitos aqui apresentados, o filme peca pela a sua fraca qualidade gráfica quando tiveram de utilizar efeitos especiais e os poucos pormenores de terror que apresenta. Este filme é bom para se conseguir arranjar e se coleccionar pela a sua raridade e pelo culto que existe à volta da saga.


Pontos Positivos:
- História
- Personagens
- Cenários

Pontos Negativos:
- Efeitos
- Terror

Rate: 6.5/10

quinta-feira, 29 de junho de 2017

The Midnight Meat Train


Este filme baseia-se numa pequena história do grande realizador Clive Barker e que volta a trazer ao
grande ecrã as suas ideias e imagens de marca. O filme teve de bilheteira 3,5 milhões de dólares, o
que não se pode considerar um grande sucesso. As críticas são mistas, pelo facto de ser uma boa
adaptação da história Clive Barker, mas fica aquém para um filme de longa metragem, tendo mesmo assim sido nomeado para alguns prémios.
O filme relata a história de um fotografo que está a tentar ter sucesso e conseguir surpreender os seus futuros patrocinadores. Numa das suas voltas à cidade, Leon entra num dos últimos metros e assiste a um brutal e bizarro assassinato, ao que foge tentado mesmo assim fotografar o acontecido. O enredo desenvolve-se mais quando Leon percebe que no dia seguinte, não existe notícia nenhuma sobre o acontecido nem vestígios no metro, o que o faz investigar o caso entrando numa jornada perigosa, metendo a sua vida em risco para descobrir a verdade por detrás do caso e a história do bizarro personagem.
Este é daqueles filmes interessante, que nos vão deixar sempre divididos, tendo sido mais apropriado uma curta metragem mais intensa do que um filme que em certos pontos perde a intensidade para dar espaço a uma história mais longa. Apesar do filme ter conseguido prémios, principalmente pela representação dos seus actores principais e por Vinnie Joner ter conseguido mais uma primeira vez criar um personagem forte e icónico que daria para ser mais explorado em filmes posteriores. Por sua vez, o filme peca pelo enrolar da história e pelos efeitos que tem quando as pessoas são brutalmente atacadas, tornando o filme pouco credível nos momentos chaves de um filme de terror. Mas mesmo assim consegue atingir o que promete, uma hora e meia de terror e gore que deixa os fã de terror com alguma água na boca. 



Pontos Positivos:
- Representação
- Gore
- Serial Killer

Pontos Negativos:
- História
- Efeitos

Rate: 6/10

quinta-feira, 15 de junho de 2017

The Belko Experiment


Mais um filme que põe à prova o comportamento e a moral humana quando se encontra numa situação de perigo e não se tem opções viáveis a seguir. O filme não foi um grande sucesso de bilheteiras tendo conseguido só 10,6 milhões de dólares, com um orçamento de 5 milhões de dólares. As críticas ao filme têm sido mistas, sendo considerado um filme médio.
A história passa-se na sede da empresa Belko e tudo começa quando um grupo de pessoas consegue trancar os funcionários da empresa e obriga-los a jogar um jogo mortal, com pena de os matarem de qualquer maneira. A acção intensifica-se quando as pessoas começam a entrar em pânico e tentam tudo para sobreviver mesmo que isso implique matar os seus colegas.
Este é mais um daqueles filmes que mostram um teste social extremo para perceber quais, e se há, os limites a que uma pessoa pode chegar para sobreviver. Apesar de já haver alguns filmes com esta temática e alguns bem melhores que este, a reunião de bons actores e a explosão de gore que há a cada morte, é suficiente para este filme ser interessante e nos manter entretidos o filme todo, principalmente para perceber o que vai acontecer no final, que como quase todos os filmes do género deixam muitas questões por responder e um final aberto para possíveis continuações. Apesar do filme não ser nada de especial e que certamente irá passar ao lado de muitos, é um filme que vale a pena principalmente para quem gosta desta temática de jogos e testes mortais.



Pontos Positivos:
- Representação
- Gore

Pontos Negativos:
- História
- Falta de Originalidade

Rate: 6/10