The way everyone can enjoy it!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

30 Days of Night


Um filme de vampiros baseado numa mini série de comics, que inicialmente seria para ser mesmo um filme mas a ideia foi rejeitada. Nas bilheteiras o filme conseguiu 75 milhões de dólares mas o orçamento foi de 35 milhões dólares, tendo assim 40 milhões de lucro, o que é bastante bom para um filme deste género, levando-o mesmo a ter uma sequela. Mas nas críticas o filme não conseguiu ter tanto sucesso, havendo uma mistura de críticas positivas e negativas, em que cada um se foca em pormenores diferentes para dar a sua opinião, mostrando a falta de consenso que existe num filme que teve 12 nomeações para prémios mas que não ganhou nenhum.
A história relata a vida de uma cidade no Alasca e a sua preparação para estarem 30 dias sem luz do sol, mas este ano vão ter convidados especiais para esse período. No entanto assistimos também à história entre Eben e Stella e como os acontecimentos do filme pode trazer de novo algo que pensavam que estava perdido.
Os vampiros é algo que está no nosso imaginário desde quase sempre, mas existem muitos tipos de vampiros e imensas histórias relacionadas com eles, fazendo que cada filme, livro, video jogo, comic, etc, que saia tenha um modelo diferente do que é ser vampiro, sendo difícil para quem vê definir o que é  ser vampiro, pois eles até podem nem morrer ao sol ou beber sangue, o que faz com que tudo o que sabemos sobre vampiros seja posta em causa a cada instante. O que fizeram com este filme e comic foi exactamente recriar os vampiros num ambiente diferente, o que levou a algumas críticas, também não ajudou a fraca caracterização no filme, mas apesar disso consegue ter uma boa história e ter terror, apesar de mais de imagem do que de acção, o que faz com que o filme tenha sido bem conseguido e nos entretêm durante quase duas horas. O filme é bom para quem gosta de vampiros, principalmente, para ter mais uma visão sobre estas criaturas tão míticas e interessantes.


Pontos Positivo:
- Representação
- Ambiente
- História
- Bom Terror

Pontos Negativos:
- Duração
- Caracterização

Rate: 7/10

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Ouija


O filme com uma temática que muitos esperavam desde da adolescência, mas tal como muitos que já passaram esse tempo, não soube aproveitar as oportunidades que teve. O filme teve uma incrível e surpreendente adesão e chegou aos 102 milhões de dólares, o que levou que haja uma sequela em 2016. Mas no que diz respeito às críticas, o filme foi completamente destruído por críticas e opiniões negativas, sendo uma grande desilusão para a expectativas criadas e à corrida aos cinemas que o filme obteve.
O filme relata a história de um grupo de jovens que tentam entrar em contacto com os espíritos, depois da melhor amiga de Laine ter morrido misteriosamente. O filme intensifica-se quando começam acontecer coisas estranhas e ligadas ao sobrenatural depois da tentativa de comunicação com espíritos, percebendo que podiam estar com algo mais perigoso do que se imaginavam.
Eu tenho uma teoria que pode explicar a grande adesão a este filme, a ideia é simples, é porque quase todos já fizeram o que este filme demonstra, principalmente na adolescência. Juntar-nos com os amigos, ter uma placa de letras e tentar comunicar com espíritos, não percebendo que haveria alguém a mexer o copo, que em Portugal se costumava jogar com um copo que depois não podia ser usado nem partido, pois podia libertar os espíritos e gerar uma maldição, criando assim uma ligação emocional com o filme, mas que por isso mesmo acabou por decepcionar muitos, pois a experiência real terá sido mais assustadora que o filme. Aliás quando acabamos de ver o filme, temos uma sensação que nos soube a pouco e que foi uma perca de tempo a sua visualização, sem grandes focos de interesse e sem nenhuma surpresa que nos surpreenda realmente. Sendo que é um filme que não nos vai trazer grandes memórias, valendo somente pelo o fenómeno que foi nos cinemas.


Pontos Positivos:
- Algumas cenas de terror
- Som

Pontos Negativos:
- Representação
- Pouca acção, somente nos últimos 15 minutos
- Cheio de Clichés
- Pouco Original

Rate: 3/10

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Resident Evil: Apocalypse


O segundo filme de uma das maiores franchise de terror de sempre, dando continuidade à saga baseada no videojogo com o mesmo nome. Este segundo capítulo, conseguiu ter mais lucro de bilheteiras do que o primeiro, chegando aos 129 milhões de dólares. As críticas tem sido mais negativas do que positivas apesar de ser um filme de culto para os fãs de terror e para os fãs da saga, mas este filme levou mesmo a críticas dentro da própria produção, criticando-se o trabalho uns dos outros, principalmente entre realizador e produtores.
A história continua onde a anterior acaba, sendo que Alice acorda num hospital e começa à procura de alguém, descobrindo que está sozinha e tenta procurar sinais de vida pela cidade deserta. Ao mesmo tempo que acompanhamos Alice, é dado a conhecer mais pormenores e mais enredo sobre a companhia Umbrella e as suas intenções, quer para o mundo, quer para a própria Alice.
Graças ao bom trabalho e ao sucesso do primeiro filme, este filme tornou-se inevitável, mas penso que por isso mesmo o filme foi feito com pressão a mais, mas ou mesmo tempo com espaço para asneiras quer na produção quer na história, que foi o que aconteceu na parte do enredo, pois não nos podemos esquecer que esta saga, advêm de uma saga de videojogos. Mas o desastre podia ser pior se não fosse a interpretação excelente de Mila Jovovich, que criou um personagem tão forte que ajudou a saga a ir para a frente, mesmo quando as coisas correram menos bem. Este é um filme que deve ser visto se gostou do primeiro para se poder dar continuidade à saga, pois o terceiro filme veio salvar a saga, por isso é importante ver este segundo capítulo para não se perder a ideia principal, e por ter uma qualidade técnica e gráfica interessante, levando-o mesmo a ser nomeado para 5 prémios ligados à produção técnica e ter ganho 2 deles.



Pontos Positivos:
- Acção
- Representação
- Caracterização/Efeitos Visuais

Pontos Negativos:
- Poucos Efeitos de Terror
- História
- Pouco Original
- Cheio de Clichés

Rate: 5/10

sábado, 25 de julho de 2015

The Cabin in the Woods


O filme que traz o melhor de Scream e The Evil Dead, demonstrando que o terror pode ser divertido, original e interessante sem perder as características de filme de terror. As bilheteiras deste filme chegaram aos 66 milhões de dólares, sendo que o seu orçamento foi de 30 milhões de dólares, podendo-se dizer que teve um lucro bastante bom para filmes deste género. Todos os que viram este filme não ficaram indiferentes tendo críticas positivos em quase todo lado, o que demonstra, a qualidade do filme e a surpresa positiva que foi  para a maior parte das pessoas, sendo nomeado para 21 prémios e ter ganho 8, algo bastante extraordinário. 
O enredo relata a ida de um grupo de jovens para uma cabana na floresta onde irão passar férias, mas tudo fica diferente quando os jovens começam a explorar a casa e descobrem coisas estranhas, o que vai atrair algo para aquele lugar. A missão passa em conseguir sobreviver e sair daquele lugar, algo que será muito difícil de conseguir, ao mesmo tempo que descobrem algo especial e diferente que vai por tudo em causa. 
Quando começamos a ver o filme pensamos que este vai ser mais um daqueles filmes slasher, onde existe um vilão que anda atrás de um grupo de jovens para os matar, sendo que eu no inicio do filme até fiz um mapa mental da ordem em que iam morrer os personagens, mas quando o filme começa a desenrolar-se mais, percebemos que algo é diferente e que tudo pode mudar, o que torna a visualização mais interessante e intensa. A mistura de géneros foi aqui bem feita, o que é difícil de fazer, sendo que num momento estas-se a rir de um cena com piada, como logo a seguir estas-se apanhar um susto e vice versa, o que faz mexer as nossas emoções quase todas. Este é daqueles filmes que nenhum fãs de terror deve perder e atrevo-me a dizer que até os não fãs de terror irão gostar, pois este filme é muito heterogéneo e faz passar o tempo muito bem.


Pontos Positivos:
- Original
- História
- Representação
- Mistura de géneros

Pontos Negativos:
- Duração
- Sombras/Luzes

Rate: 8.5/10

quinta-feira, 23 de julho de 2015

I Spit on Your Grave 2


A sequela desnecessária e impotente, que não trouxe nada de novo nem de especial, sendo que muitos fingem ou se esquecem que existe. Este filme teve estreias limitadas, aparecendo só em alguns cinemas e por isso teve uma receita de bilheteira bastante baixa. Já no que toca às críticas o filme foi bastante criticado, quer pela sua má qualidade, quer pela a sua desnecessária existência, mas isto tudo não impediu que já em 2015 começassem a trabalhar num terceiro filme, mas já com a personagem do primeiro filme.
A história relata a tentativa que Katie, empregada de mesa, fazia para seguir o seu sonho de ser modelo, mas algo corre mal com essa tentativa e é arrastada para outro país, entrando num mundo e num ambiente que a vai transformar, onde fará tudo para sobreviver e se vingar.
Pouco ou nada há para dizer sobre este filme, percebe-se que foi uma tentativa falhada de conseguir dinheiro com uma sequela que até os fãs do primeiro filme não queriam, o que torna ainda mais estranho a insistência noutro filme, que tem tudo para correr mal, apesar de terem percebido que a personagem e a actriz do primeiro filme é mais forte e interessante que esta. Em suma, o filme não vale a pena, a não ser para aumentar a colecção de filmes de terror que se tem, mas mesmo assim o dinheiro investido será mais bem gasto em outros filmes, mas para os mais curiosos e fanáticos não deixa de ser um filme a ver, nem que seja para perceber a qualidade do filme e para dizerem que pelo menos já o viram.


Pontos Positivos:
- Mudança de Cenários
- Cenas de Terror

Pontos Negativos:
- Falta de Originalidade
- Representação
- História
- Sequela desnecessária e sem relação contextual ao filme anterior

Rate: 3/10

terça-feira, 21 de julho de 2015

I Spit on Your Grave (2010)


O remake do filme Day of the Woman, que se tornou tão polémico e controverso como o seu original, dando para que haja muitas interpretações para o filme. O filme foi um fracasso a nível de bilheteiras, pois nem chegou para pagar a produção do filme, mas isso não desanimou o realizador e a produção de fazer uma sequela. As críticas do filme dividem-se aqui em dois factores, a parte técnica e a parte do enredo, história e mensagem do filme, onde na maioria a parte da história e da mensagem acabou por se sobressair mais, principalmente pela a polémica que o filme traz sobre a violação e sobre as vinganças sobre crimes, o que levou muitos defensores dos direitos humanos e principalmente feministas a protestar com o filme, traduzindo-se em muitas críticas negativas.
A história relata a ida de Jennifer para uma zona sossegada no meio de uma floresta para poder escrever o seu segundo livro e ganhar inspiração, mas tudo corre mal quando ela é atacada e abusada pelos habitantes da zona. O que eles não previam, é que Jennifer sobrevivesse e quisesse vingança, começando uma caça aos seus agressores.
Este filme vai sempre deixar muitos divididos e com opiniões diferentes, o que a meu ver não é mau, mas sim bastante interessante, e percebe-se que isso até ajudou a que houvesse uma sequela. Eu não achei o filme nada de especial, pois a história não nos atrai muito nem a representação é uma coisa de outro mundo, mas não deixa de ser boa e talvez o melhor do filme. Em relação à polémica, acho que o filme pode ser uma chamada de atenção para estes crimes e abusos sobre as mulheres, que, infelizmente, acontece em todo mundo e muitas vezes mais perto de nós do que podemos pensar, sendo por isso, que acho que as reacções foram um bocado excessivas, pois existem muitos filmes que mostram crimes brutais, e não só no género de terror, que não foram tão criticados como este e temos sempre de pensar que é ficção e que se pode fazer tudo o que se quiser, depois cabe a cada um de nós ver ou não, conforme os gostos, crenças, moralidades, etc. Por fim, este é um filme decente que entretêm os fãs de terror, e que fica bem numa colecção mas que não vai ficar na memória de quem o vê por muito tempo.


Pontos Positivo:
- Cenas de Terror
- Cenários
- Representação

Pontos Negativos:
- História
- Duração
- Apenas a parte final com acção

Rate: 6/10

sexta-feira, 17 de julho de 2015

28 Weeks Later


A sequela de um dos melhores filme de zombies dos anos 2000 e que não o deixa ficar mal, sendo uma das melhores sequelas de filmes de terror de sempre. O filme teve de bilheteiras quase 65 milhões de dólares, o que é bastante bom, mas mesmo assim não chegou ao mesmo número que o anterior, tendo gasto quase o dobro para ser feito. No que toca às críticas o filme, tal como o primeiro foi bem aceite e teve bastantes críticas positivas, mas nada como o anterior. Existe um rumor fundamentado que poderá existir mais um filme e que os realizadores estão a pensar muito seriamente nisso, por isso poderemos ter notícias em breve de uma sequela.
A história começa com um grupo de pessoas escondidas dos zombies, mas que iram ser atacadas, onde irá sobreviver uma pessoa, Don. A partir daí a linha da história irá seguir os filhos do Don que voltam para Londres para se encontrarem com o pai e por já ter acabado as infecções, mas tudo muda e estes terão de lutar pela sua sobrevivência até ao fim, sendo que Andy é um rapaz muito especial e que todos tentarão defender.
Este é uma boa sequela do primeiro filme e não fica quase nada a dever ao anterior, mas penso que não é tão especial como o primeiro, pois o foco da história é outro, mas a introdução dos militares e dos USA dá-lhe uma abordagem interessante e nova. Para quem viu o filme percebe que o filme chega a um ponto em que a história podia ser completamente diferente e avançar para um género de cura, mas isso perdia a piada do filme e esta história acabaria por aqui, mas assim tudo volta ao início e ainda pior, o que faz com que quem o veja fique com vontade que realmente peguem neste filme e façam uma sequela. O único pormenor importante de realçar mais negativo, e que provavelmente foi de propósito, é a qualidade de imagem, principalmente as misturas de cores que são bastante fracas e estranhas, mas penso que seria para dar continuidade ao modelo do filme anterior, o que não faz sentido 5 anos depois e por isso poderia ter mais um pouco de qualidade visual, mas isso não tira nada ao excelente filme que é. 


Pontos Positivos:
- História
- Ambiente/Cenários
- Efeitos Visuais
- Som

Pontos Negativos:
- Luz/Sombra
- Cores de Imagem

Rate: 8/10

quarta-feira, 15 de julho de 2015

28 Days Later


O filme que mostrou, antes da famosa série The Walking Dead, a receita de fazer uma história de zombies com qualidade e com emoções fortes, podendo agradar até aos não fãs de terror. O filme foi um grande sucesso de bilheteiras chegando quase aos 85 milhões de dólares e estreou-se em quase todo o mundo, levando a que houvesse uma sequela em 2007, 28 weeks later. Já as críticas demonstram que quase todos gostaram e aclamaram o filme e isso é demonstrado pelos 10 prémios ganhos e as 25 nomeações que teve, sendo dos filmes de terror com mais prémios e nomeações dos últimos anos, e segundo a revista Stylus Magazine o segundo melhor filme de zombies de sempre e sendo também o sétimo melhor filme da década para a Bloody Disgusting.
A história narra a vida de Jim, depois de ter acordado de um coma e descobrir que tudo estava diferente e que todos tinham desaparecido. A história desenrola-se em tentar descobrir o que se passou, o que está acontecer e como se pode sobreviver naquele ambiente, tendo que fugir de zumbis e tentar confiar nas pessoas que encontra. Nota: este filme tem vários finais conforme as edições de DVD e alguns conteúdos especiais.
Para quem vir este filme agora, ou para quem o viu recentemente vai reparar em muitas semelhanças à série The Walking Dead, mas não fiquem iludidos e a pensar que este filme foi buscar alguma coisa à série, pois é mais antigo até que o comic que gerou a série, sendo que aparentemente as semelhanças não passam de coincidências, o que duvido muito, principalmente porque o realizador Danny Boyle respondeu em 2013 a um possível terceiro filme, que não sabia, pois possivelmente (as ideias) acabariam no The Walking Dead, mas vamos confiar. Este será dos melhores filmes que foram feitos a partir dos anos 2000, aparecendo quando o género de terror estava a perder força, mas que fez com que o género volta-se ao cimo e deu novas inspirações para filmes futuros. Este é um filme obrigatório para qualquer fã de filmes de terror, mas especialmente para os fãs de zombies que iram ficar deliciados com o filme, pois até os não fãs de terror tiver um pequeno gosto pelo filme, mostrando a sua capacidade de angariar espectadores em toda a parte. 


Pontos Positivos:
- História
- Ambiente/ Cenários
- Intensidade
- Efeitos visuais
- Representação

Pontos negativos:
- Alguns momentos mais parados
- Luzes/Sombras

Rate: 9/10

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Dark Summer


O filme que realmente mostrou ser um verão negro, e que nunca deveria ter visto a luz do sol nem ter aparecido em nenhum ecrã do mundo. O filme teve em tão poucas salas de cinemas que nem tem registos oficiais dos lucros de bilheteira. Nas críticas, todos são unânimes em dizer que o filme é mau e que nem devia ser existido, sendo uma perca de tempo e de recursos para a produtora, actores e todos os que tiveram envolvidos. 
A história foca-se na vida de um rapaz que está acusado de um crime e que fica preso em casa com uma pulseira electrónica. As coisas aquecem quando a pessoa que o acusa, sendo a sua victima, se suicida, a partir de aí começam acontecer fenómenos estranhos à volta do rapaz, fazendo que ele peça ajuda aos amigos para o ajudarem a resolver estes fenómenos. 
Uma perca de tempo, é o que pensamos quando o filme acaba, com poucos pontos de interesse, passamos mais de metade do filme a ver visões vazias e com má qualidade de efeitos de um rapaz que pouco ou nada faz, mostrando que não é por ter elementos de terror que torna o filme assustador, é preciso saber utiliza-los para não cair no absurdo e no ridículo. Este filme poderá servir somente para aumentar as colecções de filmes de terror que se vê e que se tem, pois existem filmes com este tipo de ideias muito melhores, aproveitando-se apenas a banda sonora que tem bom música e os cenários em que filme se passa. 


Pontos Positivos:
- Banda Sonora
- Cenários

Pontos Negativos:
- História
- Pouca Acção
- Efeitos Visuais
- Representação
- Pouco Assustador
- Sem intensidade nem suspense

Rate: 3/10

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Devil


O filme do realizador de The Sixth Sense que nos últimos tempos começa a ser mais conhecido pelos seus fracassos do que pelos seus sucessos, mas que continua a ter relevância no mundo do cinema e no terror em particular.  Este filme é o primeiro de uma trilogia chamada The Night Chronicles, que provavelmente não irá ver a luz do dia, ficando só este filme como prova da sua possível existência. O filme em termos de bilheteiras chegou aos 63.3 milhões de dólares o que demonstrou o interesse do público em o ver. Já no que toca às críticas, o filme foi bastante criticado mas ao mesmo tempo dizendo que é o melhor filme de M. Night Shyamalan nos últimos tempos, o que é ao mesmo tempo compreensível e contraditório.
A história do filme passa-se num elevador de uma empresa em que ficam presos cinco pessoas. O drama desenrola-se quando o elevador começa a ter problemas e a ficar sem energia, ao mesmo tempo que os personagens presos começam aparecer feridos e a desconfiar uns dos outros sem saber o que podem fazer para sair desta situação e em quem podem confiar.
Este será provavelmente um guilty pleasure de muitos e um dos meus, confesso, pois apesar de percebemos que o filme não é nada de especial nem original, a atmosfera que o filme cria, a intensidade do drama e a claustrofobia que o filme transmite, mantêm-nos agarrados até ao fim, querendo perceber o que vai acontecer no minuto a seguir e como é que acaba, estes são os triunfos que fazem deste filme um filme interessante de ver. Mas apesar disso, não percebemos muito do que se está a passar até ao final, e como supostamente seria uma trilogia, muito fica por explicar, algo que provavelmente nunca iremos saber, só mesmo se o realizador precisar de ganhar dinheiro rápido e se lembrar que aqui poderá ser uma boa aposta. Em suma, é um filme que todos os fãs de terror devem ver, claro que uns vão gostar mais do que outros, mas que não vai decepcionar na totalidade quem o vir e como disse, para muitos poderá-se tornar dum guilty pleasusre.


Pontos Positivos:
- Intensidade
- Bom Suspense
- Atmosfera
- Representação

Pontos negativos:
- Tempo de duração
- História
- Pouco original

Rate: 7/10

terça-feira, 7 de julho de 2015

REC 4: Apocalypse


O episódio final que põe um fim à maior e mais famosa saga de terror espanhola de sempre. O filme estreou-se em 2014 no festival internacional de cinema de Toronto dando desde daí uma mostra e um interesse geral pelo desfecho desta saga de terror. No que diz respeito às receitas de bilheteira, não chegam a quatro milhões de dólares, o que fica muito à quem dos 10 milhões que o filme anterior gerou, apesar que este fracasso de bilheteiras se deve à má escolha e À qualidade do filme anterior. As críticas tem sido positivas e mostram a simpatia que as pessoas têm com esta saga que acabam ao fim de 7 anos e 4 filmes. 
A história continua onde o segundo filme acaba, com o resgate da personagem principal do primeiro filme. O filme desenrola-se num navio onde estão cientistas a explorar o vírus que tem transformado as pessoas em zombies, aquecendo quando alguns personagens percebem que algo estranho se está a passar e simultâneamente aparecem infectados que geram o pânico, pondo os instintos de sobrevivências em acção.
Apesar do fraco filme anterior, e onde até neste filme se realça que REC 3 é um spin off e que este quarto episódio é uma sequência directa do segundo filme, este é um bom e decente final para uma das mais importantes sagas recentes do terror em geral, do terror europeu e também do terror e do cinema espanhol. Os pontos a destacar são que, primeiro, este filme se afasta do modo de filmagem dos anteriores, deixando de ser um modelo de video amador para passar a ser um filme "normal", o que resulta apesar da câmara não parar quieta, o que é bastante irritante e atrapalha a visualização do filme, mas percebo a ideia que seria dar mais emoção às cenas. Em segundo, por se focar mais na história e na conclusão desta saga, torna-se mais um filme de acção com zombies, um género de resident evil, mas com algumas cenas de terror, principalmente físico, algo que se perdeu mais pela a mudança do modo de filmagem. Mas em resumo este é um filme que termina bem a saga e que para quem viu os anteriores é obrigatório, mas poderá decepcionar os mais fanáticos fãs de terror.


Pontos Positivos:
- Acção
- Representação
- História
Pontos Negativo:
- Câmara
- Foge ao estilo que tornou famoso a saga
- Mais acção do que terror

Rate: 7/10

domingo, 5 de julho de 2015

Maggie


O filme que mostra o lado humano de Arnold Schwarzengger, mas não mais do que isso, para um filme de zombies sem emoção. O filme ainda está nos cinemas em alguns países mas, apesar do nome forte do actor principal, não terá grande assistência, principalmente porque se estreou muito perto do último filme do exterminador implacável (terminator) e foi limitado a poucas salas de cinema. As críticas são mistas e vão depender do foco que dão, se é há história ou se é à representação feita pelos actores, mas simplesmente passam por dizer que é um filme médio ou mesmo medíocre.
O filme relata a história de uma família em que a filha foi contaminada pelo vírus que a irá torna-la zombie, sendo que todo filme passa-se durante a transição do estado normal para zombie, contando os dramas e os problemas que vão aparecendo durante este período.
A primeira impressão que tive deste filme foi que parecia uma tentativa de fazer um last of us, um jogo de zombies muito conhecido, mas com uma história ligeiramente diferente, percebendo numa pesquisa rápida, que não fui o único que teve essa ideia. Em segundo, este filme encaixa-se tanto no género de terror como o twilight, sendo que se mudassem o tema, em vez de zombies e da contaminação, passassem para uma história com uma doença terminal, quase tudo continuaria a fazer sentido, mostrando que este filme enquadra-se mais num drama. Por fim é interessante realçar a boa performance dos actores, apesar da história e do enredo não puxarem muito por eles, tentaram melhorar a qualidade do filme que só por si não vale muito, o que é uma pena pois com este casting pedia-se mais acção e mais história onde eles podiam brilhar, perdendo-se assim uma boa oportunidade para criar um filme diferente e interessante.



Pontos Positivos:
- Representação
- Caracterização
- Ambiente/Cenários
- Banda Sonora

Pontos Negativos:
- Enredo/História
- Pouco suspense/thriller
- Pouca acção
- Nada assustador

Rate: 5/10

quinta-feira, 2 de julho de 2015

It Follows


O filme de qualidade que mostrou que às vezes é preciso ir atrás para poderemos seguir em frente e mostrar que com pouco se pode fazer muito. Este filme que se estreou no festival de Cannes e desde logo criou interesse, teve como bilheteira 17.4 milhões de dólares, um lucro razoável para o seu orçamento de 2 milhões de dólares e o suficiente para se pensar em fazer uma sequela. Já na área das críticas, estas tem sido muito positivas, aclamando até que este filme poderá ser um exemplo e uma salvação para o terror moderno.
A história anda à volta de uma rapariga (Jay) e de um episódio que vai mudar a sua vida. A personagem principal envolve-se com um rapaz que ao fim de um encontro, passa-lhe um género de maldição que faz com que ela seja perseguida por espíritos. O filme desenrola-se na tentativa de perceber o que se está a passar e principalmente arranjar uma maneira de acabar com esta maldição.
Este é um filme, que como disse no principio, demonstra que para se fazer um bom filme é preciso usar os modelos passados e principalmente os ambientes de épocas passadas, sendo visível nos melhores filmes de terror recentes em que estes recorrem a ambientes passados ou a ambientes rurais/indies. It follows enquadra-se num terror psicológico e sobrenatural em que vemos os personagens a lidar como algo que não é visível e que lhes é desconhecido, dando aos personagens um sentimento de impotência, o que é bastante interessante para quem vê, ficando a pensar como é que eles vão resolver o problema ou se o conseguem mesmo resolver, dando muitas interpretações ao filme, desde o filme representar a luta contra as doenças sexuais até representar a luta contra dependências como a droga. Seja qual for a interpretação que lhe damos, o filme consegue-nos cativar e manter interessado, mas não será um filme que aposte muito em criar grandes momentos de terror ou de sustos, ficando mais pelo o suspense e pelo o enredo que a história tem, usando só quando necessário cenas mais agressivas.



Ponto Positivos:
- Bom enredo
- Intenso
- Estilo Indie/Retro

Pontos Negativos:
- Representação

Rate: 8/10

PS: O Blog tem agora uma pagina no facebook, que para além de ter as críticas, haverá notícias, estreias internacionais e em Portugal, divulgação de eventos ou projectos ligados ao tema, e um questionário mensal em que quem visitar a página poderá escolhe um filme para eu analisar e no final de cada mês farei. Este é a Programação inicial, poderá haver mais coisas. Ponham like, e partilhem Crítica com Medo