The way everyone can enjoy it!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Filmes de Terror para 2017


Como o ano está a chegar ao fim e os balanços já estão feitos, o que temos de fazer é seguir em frente e começar a pensar o que podemos ver em 2017. Aqui deixo uma lista de filmes que acho que poderão ser os mais interessantes de ver no próximo ano, claro que apesar de tudo podem vir a ser um fracasso, mas pela publicidade ou pelos nomes que têm, criam um interesse e uma expectativa positiva antes de saírem. A lista não está por nenhuma ordem específica, sendo estes os filmes que mais espero ver em 2017, pois são a sequela de sagas já bem conhecidas para os fãs de terror, sendos  alguns bastante aguardados.

World War 2


Saw: Legacy


Jeepers Creepers 3: Cathedral


Rings


Annabelle 2


Insidious: Chapter 4


Alien: Covenant


Por fim, comentem, quais os filmes que estão mais ansiosos por ver em 2017, quais as expectativas e quais aqueles que pensam que irão ser um sucesso e os que irão ser um fracasso.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Top 10 de Séries de Terror em 2016


Esta é a novidade deste ano do blog, para além do top de filmes e dos filmes esperados de 2017, este post irá ser o top 10 de séries de 2016, que neste caso é por temporadas, por exemplo série x temporada y, contam todas as séries que começaram uma temporada em 2016. Porquê este top? Porque as séries cada vez mais fazem parte das nossas vidas e cada vez mais vimos mais séries do que filmes, por isso faz todo o sentido que no final do ano haja um top de séries de terror para partilhar as que achei mais interessantes e poderem-nos discutir aqui também o que melhor se fez no terror ao nivel da televisão.

10- The Strain - 3º Temporada
Esta temporada continua a série que foi inspirada pelo livro com o mesmo nome do Stephen King e traz-nos a continuação da luta contra os monstros que foram criados nas temporadas anteriores mas neste capitulo a luta e os confrontos intensificam-se, pondo em causa a sobrevivência dos que conseguiram escapar inicialmente.


9 - Ash vs Evil Dead - 2º Temporada
Neste segundo capítulo desta série de comédia/terror que é um género de sequela do filme original Evil Dead, a história ganha mais pormenores, mostrando que não é assim tão fácil acabar com os demónios invocados. Ash e o seu grupo terá de partir para outra aventura para tentar destruir o livro que continua a causar problemas.


8- Dead of Summer - 1º Temporada
Esta nova série traz de volta o estilo dos anos 70/80 de slayer killer, muito ao modo de Friday the 13th, tendo um acampamento de férias onde os seus tutores estão a ser atacados por alguém no meio da noite, ao mesmo tempo que nos é apresentado a história de cada personagem antes de chegaresm aquele lugar  e como as coisas podem estar ligadas.


7- The Living and The Dead - 1º Temporada
Esta série britânica, relata a história de um casal que se muda para uma quinta com algumas áreas agrícolas, tendo de lidar com os problemas que vão aparecendo e as lendas que pairam entre as pessoas daquele local, descobrindo aos poucos os acontecimentos que marcaram naquela zona ao longo do tempo.


6- Salem - 3º Temporada
Nesta temporada, a acção intensifica-se e Salem fica mais perigosa gerando uma "guerra" interna entre bruxas para tentarem derrubar o pequeno tirano que tenta por todos os custos ter controlo de tudo e todos, ao mesmo tempo que os seres mortais terão de tentar sobrevivente e lutar, embora ainda de maneira muito discreta, com as bruxas que tomaram conta da cidade.


5 - The Walking Dead - 7º Temporada
A famosa série de zumbis volta este ano depois de ter perdido um bocado a intensidade nas temporadas anteriores, para dar o que os fãs desta série o que eles gostam, um bom drama, com surpresas umas atrás de outras e com a qualidade gráfica que já nos habitou, mostrando também que a série está a chegar ao final das próximas temporadas.  


4- The Exorcist - 1º Temporada
Apesar de não ser assumido, esta série é um género de sequela do famoso filme com o mesmo nome passado bastantes anos, apesar de tratar de novo sobre exorcismos, traz consigo mais um enredo por de trás da religião e das personagem que prometem grandes surpresas para temporadas futuras, realçando os dois padres principais desta série.


3- American Horror Story - 6º Temporada
A série que já nos habitou a ser diferente e esta temporada não é excepção, esta nova história baseia-se numa casa onde acontecem coisas sobrenaturais ligados ao tempo da inquisição e das caças às bruxas mas também numa espécie de programa que tenta ilustrar os "realty shows" americanos sobre acontecimentos passados que têm tido grande sucesso na televisão.


2- Stranger Things - 1º Temporada
A série do momento que tem dado que falar pela internet que mistura terror com ficção cientifica, numa nostalgia que nos leva aos anos 80 e com uma qualidade de representação fantástica que conseguiu cativar os fãs destes géneros e não só, mostrando que o que é bom consegue audiências mesmo fora da população alvo. Esta temporada conta a história de um desaparecimento de um rapaz e as tentativa de todos de o tentarem encontrar e a vinda de uma rapariga com poderes sobrenaturais que pode ser a chave de tudo isto.


1- Penny Dreadful - 3º Temporada
Neste ultimo capitulo da série, a história foca-se mais na origem dos personagem e como eles se tornaram o que são, seguindo os dois personagens principais em aventuras separadas para descobrir quem são, trazendo também o personagem mais aguardada da série, o Dracula e como ele pode influenciar o final desta história fantástica que faz todos os personagens do terror clássico para lhes dar vida em aventuras de terror e thriller e com uma representação de grande qualidade que prende qualquer pessoa mesmo os que não são fãs de terror.


Pronto está feito a minha lista de séries de 2016, espero que tenham gostado, mas como sempre podem deixar comentários, quais as vossas séries preferidas de terror deste ano, se concordam com a lista e quais a séries que mudariam. 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Top 10 de filmes de 2016


Chegou a altura em que se faz o balanço do ano que está acabar e quais foram os melhores filmes de 2016. Como sempre este top é feito pelos filmes que gostei mais de ver ao longo este ano, claro que podiam estar cá outros, mas estes foram os que mais me impressionaram, e claro nunca é uma escolha fácil. Este ano para além de pôr o trailer vou deixar também um pequeno texto em cada lugar para se perceber o porquê de ter gostado destes filmes. Como sempre e por falta de tempo nem todos os filmes têm a crítica no blog mas tentarei por-los a seguir no próximo ano.

10 - The Autopsy of Jane Doe
Este filme realça-se por ter uma história diferente e por nos surpreender ao desenrolar do filme, criando um clima de suspense, que nos cativa o filme todo e deixando-nos curiosos por saber o que aconteceu realmente aquela rapariga.


9 - Light Out
Este filme consegue converter muitos dos clichés do terror e da maneira de fazer sustos em algo interessante e sem cair no ridículo, produzindo um filme interessante e cheio de momentos de terror psicológico com a sua manipulação da luz e da escuridão.


8 - Under The Shadow
Este filme traz-nos a maneira de ver o terror e o que é o medo em países não ocidentais, com uma história diferente mas consistente e com uma representação que encosta muitos actores ocidentais a um canto. 


7 - 10 Cloverfield Lane
Este filme gera um ambiente de suspense e cria uma confusão na nossa cabeça a cada instante sem saber no que podemos acreditar e o que vem a seguir, tendo um final que nos faz pedir mais desta saga que promete dar que falar nos próximos anos.


6 - The Eyes of My Mother
Este filme mais alternativo pode parecer estranho ao inicio mas vai-nos cativando ao longo da história, a qualidade e o modo como está feito ainda nos deixa mais interessados no filme, tendo um bónus de ter uma história em Portugal.


5- Green Room
Este filme é o mais agressivo deste top, mas não é por isso que deixa ter uma qualidade fantástica, como actores de luxo e uma história que mistura a música e o terror, tendo acção do principio ao fim sem fazer com que percamos o interesse. 


4 - The Wailing
Este filme mostra a qualidade dos filmes asiáticos, principalmente no terror, com uma história interessante e uma qualidade de produção de fazer inveja a muitas produtoras americanas, tendo um terror psicológico intenso, algo que já nos habituaram.


3 - The Conjuring 2
Esta sequela traz o que de bom se fez no anterior, principalmente uma história bem contada mas trazendo neste capítulo mais emoção e menos terror, mas não deixa de ter a intensidade e a qualidade que nos deu no primeiro filme.


2- Train To Busan
Este filme representa a geração Walking The Dead e como os asiáticos são muito bons a fazer filmes de terror, usando algo tradicional, como zombies, e inovando com uma história que podia e devia ter uma continuação, ou em série ou em filmes.


1- Don't Breathe
Este filme tem tudo o que os fã de terror querem, terror físico e psicológico numa combinação perfeita de suspense que nos deixa sem respiração e agarrados ao ecrã, que nem vemos o tempo passar, querendo mais, principalmente do vilão que se houver sequência irá ser um dos vilões de terror desta década.


Este é o meu top deste ano, se querem podem comentar o que mudavam e quais os vossos filmes preferidos de terror deste ano.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

The Shallows


Mais um filme sobre um ataque de tubarão que envolve drama e thriller mas que escapa ao terror e ao medo que Jaw nos trouxe. O filme teve de bilheteira 119 milhões de dólares, com um orçamento de 17 milhões o que se pode considerar um sucesso. As reacções ao filme foram mais positivas que negativas, destacando a qualidade gráfica do filme, mas que não o torna uma obra prima do cinema.
A história começa com Nancy a chegar à praia onde a sua mãe esteve anos atrás e que se encontra escondida do mundo, Nancy aproveitou para surfar algumas ondas daquela praia que parecia um paraíso. A acção começa quando Nancy é atacada por um tubarão e é encurralada numa rocha, tentando por todos os meios escapar aquele terrível predador que não a deixa descansar, tendo de lutar contra o tempo para poder sair dali com vida.
Este é um filme de Verão que é interessante e nos "sabe" a férias e a praia, mas com um toque de terror para ser diferente de um tradicional filme da época. O filme tem um história interessante e que primeiro puxa pelo o drama, principalmente ao irmos conhecendo a história da personagem principal e os seus problemas, dos quais muitos se devem relacionar e compreender, numa segunda parte o suspense da acção e da luta daquele momento para sobreviver. O filme tem um mensagem interessante de como se vê a vida e os seus problemas e como episódios de terror nos fazem mudar a maneira de como vemos as coisas e mesmo a mudar o modo como vivemos. O filme só peca mesmo por ser mais um de muitos filmes sobre esta temática e por apesar da qualidade gráfica o terror e o susto não estar muito presente, sendo mais um drama sobre sobrevivência. Em suma, o filme é interessante e cativa-nos a ve-lo até ao fim para percebermos se a personagem se vai ou não safar deste momento, mas quem espera ver um banho de sangue ou cenas gráficas agressivas, não é aqui que as vai encontrar, mas quem procura uma boa história de suspense e de sobrevivência, tem tudo para gostar deste filme.


Pontos Positivos:
- Drama
- Efeitos
- História

Pontos Negativos:
- Pouco Original
- Pouco Terror

Rate: 6/10

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Final Destination 3


O terceiro filme da saga final destination que traz de volta uma montanha russa de terror e de mortes que já nos habituou. O filme teve de bilheteira 118 milhões de dólares com um orçamento de 25 milhões, sendo considerado um sucesso neste ponto. As críticas tem sido mistas mas realçando que é só mais um filme de terror sem nada de especial.
Um grupo de jovens vai a uma feira de diversão e antes de entrarem numa montanha russa, Wendy teve uma visão que essa viagem ia correr mal, entrando em pânico sendo obrigada a sair dali, mas levando por arrasto mais um grupo de pessoas que estavam atrás dela. A acção intensifica-se quando o que Wendy previu na montanha russa aconteceu e não só os amigos ela morreram como os que sobreviveram começaram a ter acidentes fatais uns a trás dos outros, fazendo com que todos tentem ao máximo sobreviver ao seu destino.
Neste terceiro filme, o que é interessante de realçar é como usando o mesmo esquema dos anterior se tenta trazer algo de novo sem perder o que caracteriza a saga, mas por insistirem desse modelo, nada ou quase nada mais se destaca, nem a história nem as personagens, tal como acontece com a maioria dos filmes de slayer killer que se preocupam mais com matar pessoas do que contar uma história. Apesar de as partes gráficas e as cenas das mortes serem interessantes e bem feitas, apesar de exageradas, não chega para fazer deste filme algo com qualidade e que seja relembrado posteriormente, sendo apenas mais um da saga que logo desde o segundo filme já estava destinada a ser um fracasso de qualidade e a perder o seu valor. Por fim, quem gostou dos primeiros e quer continuar acompanhar a saga, este é um filme que deve ver, mas quem ao fim do segundo se cansou, pode deixar de acompanhar a saga pois mais nada vai mudar, pelo menos até agora, nesta saga que não nos faz ter um desejo grande de continuar a seguir.


Pontos Positivos:
- Efeitos
- Cenas das Mortes

Pontos Negativos:
- História
- Mais do mesmo

Rate: 6/10

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Don't Breathe


Um dos melhores filmes de terror de 2016 que surpreendeu todos os que o viram e principalmente aqueles que esperavam ver apenas mais um filme de terror. O filme teve de bilheteira 152,5 milhões de dólares, sendo o segundo filme com mais sucesso da Sony em 2016. As críticas têm sido positivas quer em sites e revistas de filmes quer em sites e revistas mais focadas nos filmes de terror, podendo em consideração uma sequela.
Um grupo de ladrões que rouba casas tendo a ajuda de um deles ser filho de um dono de sistemas de segurança, decide fazer um roubo que iria ter grandes lucros, sendo um golpe fácil pois a casa pertencia a um veterano de guerra cego. As coisas complicam quando entram dentro da casa e descobrem que afinal as coisas não eram assim tão fáceis e nem tudo o que parece é, tendo surpresas a atrás de surpresas, que os faz temer pela vida.
Para mim este é o filme do ano, superando o Conjuring 2, que também achei bastante interessante, mas este ganha muito com a intensidade que tem, o suspense que põe desde quase o inicio até ao fim, faz justiça ao nome do filme e ficamos nós também quase sem respiração a cada cena, não querendo perturbar a acção do filme que fica mais arrepiante e intenso ao passar o tempo. A história e a criatividade faz deste filme algo especial que mesmo sem grandes efeitos ou cenários cria um ambiente de cortar à faca. Só peca mesmo por não nos criar uma empatia com os personagem que entram na casa, pois não temos grande informação sobre eles, dando até mais relevância ao dono da casa que se torna um personagem fantástico como "vilão", o que acaba por ser uma perseguição em que se pode torcer mais por aquele que anda à caça do que por aqueles que fogem. Este é um filme a não perder mesmo, e vai agradar a todos os fãs de terror, claro mais a uns do que a outros, mas que até pelas críticas e pelos comentários que se vai vendo percebe-se que o filme surpreendeu muitos pela a positiva e vale mesmo a pena.


Pontos Positivos:
- História
- Terror/Sustos
- Som
- Criatividade
- Suspende

Pontos Negativos:
- Personagens

Rate: 8/10

sábado, 5 de novembro de 2016

Lights Out


Um filme de terror que nos faz voltar a ter medo do escuro, tendo uma ajuda de James Wan para o tornar um dos melhores filmes de 2016. O filme teve de bilheteira 148 milhões de dólares com um orçamento de 4,9 milhões de dólares, tendo uma das melhores bilheteiras de 2016 para o género de terror. A maioria das críticas foram positivas realçando o trabalho feito pelo realizador David F. Sandberg.
A história começa logo por um evento paranormal de um ser que aparece sempre que está escuro matando Paul. A história recomeça e segue a personagem Rebecca que também vê coisas estranhas sempre que escurece. A acção intensifica-se quando se tenta perceber quem é aquela misteriosa e perigosa personagem, encontrando um passado terrível que faz com que o medo e o terror aumentem.
O filme é baseado numa curta metragem feita pelo o realizador, que teve tão boas criticas que este resolveu fazer o filme e o resultado foi bem conseguido. Apesar de ter os clichés típicos de um filme de terror e a ideia não ser original, tem um enredo e uma representação que mostra que não é preciso muito para fazer um bom filme, só é preciso, mesmo usando os "ingredientes" do costume, que haja qualidade e dedicação no que se faz, vê-se logo a diferença. O filme é um dos melhores que se pode ver em 2016, apesar de não ser o melhor mas está sem dúvida no top de 10 de muitos no final deste ano, por isso é um filme que vale a pena ver e deixar-se envolver no ambiente de terror que nos entregam para apreciar. 


Pontos Positivos:
- História
- Terror/Sustos
- Representação

Pontos Negativos:
- Clichés
- Som
- Originalidade

Rate: 7/10

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Halloween 4: The Return of Michael Myers


O regresso da verdadeira sequela dos dois primeiros filmes e um regresso à saga do assassino Michael Myes. O filme teve de bilheteira 17, 7 milhões de dólares e um orçamento de 5 milhões de dólares, tendo sido um grande fracasso para a saga. As críticas foram mais negativas do que positivas e não teve a recepção que os produtores pensaram que iria ter depois das críticas feitas ao filme anterior.
A história começa quando o Michael Myers está a ser transportado de ambulância e acorda sem que o pessoal da ambulância deia por isso, acabando mortos pelo assassino que escapa da ambulância e tenta encontrar as pessoas o tentaram matar. A história desenrola-se quando a sobrinha de Michael aparece e começa haver uma ligação entre eles, fazendo com que Michael a queira matar por saber que faz parte da sua família, eliminando todos que se apareça à frente.
Para mim este é um daqueles filme que é underrated, porque traz de volta a essência dos dois primeiros filmes, apesar de perder um pouco de terror, pois foca-se mais na história que quer contar, não cai no ridículo nem na má qualidade que os seus concorrentes caíram em quase todas as suas sequelas, sendo que para mim a saga de Halloween é a mais consistente das sagas de slayer killers dos anos 70, 80, apesar de também ter os seus filmes maus mas não cai no ridículo. Este filme consegue ser uma sequela aceitável dos dois primeiros filme e traz novidades para uma continuação da saga que neste filme resulta mas que pode não resultar nos seguintes. Em suma, é um filme que deve ser visto pelos fãs de Halloween e do Michael Myers, não se arrependendo do resultado final, mas não esperem o terror que os dois primeiros trouxeram, mas esperem uma história bem contada no universo do Halloween.


Pontos Positivos:
- História
- Representação

Pontos Negativos:
- Pouco Terror
- Mais do mesmo

Rate: 7/10

A Nightmare on Elm Street 4: The Dream Master


O quarto capitulo de uma saga que já nos vem trazendo alguns pesadelos, pela positiva e pela negativa. O filme teve de bilheteira 49,3 de milhões de dólares mas com um orçamento de 13 milhões de dólares, sendo a saga do género que neste ponto mais ganhou, mas também o que mais gastou para produzir o filme. O filme teve reacções mistas entre as positivas e as negativas que levam o filme a não ser demasiado criticado, mas também não demasiado glorificado, fica um filme médio e pouco interessante.
O filme começa por seguir a protagonista do filme anterior e o seu regresso a ter uma vida normal depois dos acontecimentos anteriores, mas isso acaba quando esta adormece e é atacada por Freddy e acaba por morrer. A acção passa então para Alice e Dan que começam a ter pesadelos com o Freddy e terão de tentar sobreviver ás investidas que irão sofrer até ao fim do filme que definirá os seus destinos.
Não há muito para dizer sobre este filme, é mais um A Nightmare on Elm Street, com o mesmo enredo que os anteriores, uma história sem interesse, o único ponto interessante é qualidade que a saga tem a nível da imagem e dos efeitos, mostrando sempre cenários brutais mesmo que depois não os explorem como poderiam fazer. Este filme não tem nada que se possa realçar, sendo mais um na saga que pode agradar os fãs mais agarrados mas não vai encher o coração a mais num fã de terror que tente procurar algo de interessante neste capítulo.


Pontos Positivos:
- Cenários
- Efeitos

Pontos Negativos:
- História
- Mais do Mesmo
- Representação

Rate:4/10

Halloween II


A sequela do filme que introduziu um dos slayer mais terríveis e fatais da história do terror e a continuação da noite de terror mais mítica do mundo. O filme teve de bilheteira 25,5 milhões de dólares, com um orçamento de 2,5 milhões de dólares, o que é considerado um bom lucro. O filme teve críticas mistas e algumas contraditórias, ao mesmo tempo que se dizia que o filme não era bom e não fazia justiça ao anterior, louvava-se a representação de Donald Pleasence, Jamie Lee Curtis e de Dick Warlock e glorificava-se a personagem de Michael Myers.
O filme começa onde acaba o anterior, com o desaparecimento de Michael, o começo da procura do Dr. Sam Loomis por este assassino e a Laurie a ir para o hospital para recuperar dos ataques que sofreu durante a noite. A acção recomeça quando Michael recupera e recomeça o seu ataque, querendo terminar com que não conseguiu acabar anteriormente trazendo o terror e o medo novamente para a rua.
Esta é uma sequela que apesar de não ser perfeita é uma boa sequência do filme anterior, trazendo um seguimento lógico e interessante, mas também continuando o bom trabalho de representação do primeiro. Traz também as cenas e até os cliches que os fãs de terror gostam em filmes de slayer killer, o que fez ter várias críticas pelos críticos de cinema, mas ser adorado pelos fãs de terror, pois este não é só mais uma sequela mas sim uma afirmação no terror de uma das personagens mais mística e icónicas do cinema, sem cair do ridículo que muitos dos seus concorrentes caíram. Em suma é um filme interessante que completa a história do anterior que deve ser visto por aqueles que viram e gostaram do primeiro, não podendo os separar, sendo que se fosse agora provavelmente os filmes estavam juntos num só com um filme de duas horas e tal.


Pontos Positivos:
- Terror
- Vilão
- Representação
- Banda Sonora

Pontos Negativos:
- Efeitos
- Imagem/ Luz, Sombra

Rate: 8/10

Friday the 13th Part IV: The Final Chapter


A sequela que fecha o ciclo da saga original mas que não resolve nem melhora os problemas dos filmes anteriores. O filme teve de bilheteira 32,9 milhões de dólares e com um orçamento de 2,6 milhões de dólares. As críticas foram quase todas negativas, mostrando a falta de qualidade que a saga tem vindo a ter desde do segundo filme.
O filme começa quando encontram o corpo de Jason e o levam para a morgue pensando que este estava morto, mas o que se revela falso e o faz matar as pessoas que estavam na morgue. Entretanto um grupo de jovens vai para Crystal Lake onde Jason regressa para se vingar de o terem tentado matar, começa de novo a matança habitual naquela área.
Devido ao fracasso do filme anterior muitos dos argumentistas e produtores saíram por terem "vergonha" de estarem associados a esta saga, os que restaram e como um novo realizador a equipa decidiu fechar a saga com este filme, que apesar de não ser bom, é melhor que o seu antecessor e de certa maneira teria sido uma boa conclusão. A história é interessante e consegue trazer algo que o anterior não trouxe, mas continua a ser mais do mesmo e a ser entregue ao público sem ter sido muito trabalhado nem com grande qualidade, os efeitos e as cenas das mortes continuam a ser más e bastante irrealistas, sendo que a qualidade da representação também não ajudou muito para a causa. Mas apesar isto, o filme é uma boa conclusão para a primeira parte da saga, e que devia ter sido a última, e deve ser vista por todos os que acompanharam a saga até ali e para saberem como acaba a série original.


Pontos Positivos:
- História

Pontos Negativos:
- Efeitos
- Mais do Mesmo
- Representação

Rate: 5/10

A Nightmare On Elm Street 2 : Freddy's Revenge


A sequela do filme que nos trouxe um pesadelo e um personagem que se tornou um ícone e uma das imagens do terror de slayer killer dos anos 80. O filme teve de bilheteira 29,9 milhões de dólares com um orçamento de 3 milhões de dólares. O filme teve bastantes críticas negativas sendo considerando uma má sequela ao primeiro filme e um falhanço na continuação do trabalho de Wes Craven.
A história começa cinco anos depois dos acontecimentos do primeiro, quando uma família se muda para a antiga casa dos Thompsons e o filho adolescente, Jesse, começa a ter pesadelos com um personagem estranho que o tenta matar, A história começa a desenrolar-se quando se descobre o diário de Nancy onde estão descritos os seus pesadelos e a personagem que a tenta matar, percebendo as associações, os acontecimentos vão-se intensificando e tornam-se fatais, deixando em desespero Jesse e Lisa que estão a ser perseguidos pelo Freddy.
Quando se tentar pegar um filme que foi um sucesso e não se sabe muito bem para onde ir acontece sempre asneira e foi o que aconteceu neste caso, onde Jack Sholder tenta seguir o trabalho feito pelo o mestre do terror Wes Craven mas sem ter o talento para isso, mas o filme tem uma boa bilheteira pelo facto de muitos pensarem que seria uma sequência do primeiro, o que acabou por não ser bem assim. Aliás o factor que mais se pegou neste filme, foi a possível de uma representação da homossexualidade do personagem principal, algo que foi desmentido mas posteriormente confirmado, tornando confuso a interpretação do próprio personagem, que foi criticado até pelo o próprio actor que o representou, Mark Patton. Todas estas confusões juntamente com a má qualidade dos efeitos, tornam este filme realmente num pesadelo, que só é salvo, curiosamente, pelo o vilão e pelo papel que Robert Englund tão bem representa, impedindo que o filme tenha sido um desastre total para passar a ser um filme aceitável e médio mas sem fazer justiça ao seu antecessor. É um filme que deve ser visto por ser o segundo de uma saga, que depois de tantos filmes dá um relevo diferente a este segundo capítulo. 


Pontos Positivos:
- Terror
- Vilão

Pontos Negativos:
- Representação
- Efeitos
- História

Rate: 4/10

A Nightmare on Elm Street 3: Dream Warriors


A terceira parte da saga que nos dá pesadelos e uma auto-estrada em direcção ao inferno, tendo desta vez a mão do seu criador Wes Craven. O filme teve de bilheteira 44,7 milhões de dólares e com orçamento 4,5 milhões pode-se dizer que o filme foi um sucesso. O filme teve críticas mais positivas do que negativas, louvando o regresso de Wes Craven e a qualidade que trouxe a este filme.
Neste terceiro filme a história segue uma jovem Kristen Parker que por sonhar e ser atacada por Freddy mas sem a sua mãe acreditar, é internada num hospital psiquiatra com a desculpa que tem tido comportamento suicidas e perigosos. Com ajuda da terapeuta mas também conhecida, por ser a protagonista do primeiro filme, o grupo a que se junta Kristen tenta controlar os seus sonhos e mandar o terror que neles estejam para fora da sua cabeça, sendo que o Freddy está sempre presente. 
Este filme é marcado por duas coisas, primeiro o regresso do Wes Craven como argumentista, não o querendo produzir, depois de se ter recusado a fazer parte do segundo filme, pois para ele A Nightmare on Elm Street, seria apenas um só filme e não uma saga, mas com o mau resultado do segundo filme, decidiu voltar para honrar aquilo que tinha criado e não o deixar cair na lama. Segundo, este filme é marcado pelo tema que é subjacente ao filme que é o suicidio entre jovens que na altura em que foi feito era um problema grave e com este filme quis se tentar mostrar que apesar dos monstros que existam, haverá sempre pessoas a tentar ajudar e dispostas a dar tudo para passarmos esta fase. Dito isto, o filme volta à qualidade do primeiro, mas mesmo assim não chega a tocar no clássico que o primeiro chegou, mas mesmo assim é bastante interessante a todos os níveis para os fãs de terror o apreciarem com gosto. 


Ponto Positivos:
- Efeitos
- História
- Cenários

Pontos Negativos:
-  Mais do mesmo
-  Mortes

Rate:6,5/10

Halloween III: Season of the Witch


O terceiro filme da saga Halloween que é um spin-off da série e não acompanha nem a história nem os personagens dos dois primeiros filmes. O filme teve de bilheteira 14,4 milhões de dólares com um orçamento de 2,5 milhões de dólares, sendo um fracasso para a saga. O filme teve uma reacção mista, a primeira reacção foi uma reacção mais negativa por não se encaixar na saga onde está, mas posteriormente e conseguindo analisar só o filme em questão, muitos considerar um filme como um dos melhores sobre a sociedade consumista e capitalista.
O filme relata a história sobre a investigação do Dr. Dan Challis a crimes que estão acontecer à volta do dia de Halloween, com os produtos para a data, principalmente máscaras de abóboras de Halloween. Mais tarde percebe que este caso não se trata de um caso comum e pode envolver coisas fora do normal e paranormais que mete em causa a sua própria credibilidade.
Apesar deste filme não se encaixar na saga, porque John Carpenter tinha afirmado que o Halloween II seria o último, a tentativa de continuar com uma saga, ou o nome da saga e não ter nada haver com ela torna-se perigoso e ineficaz, tal como aconteceu. O filme em si não é mau e até é interessante, tem mistério e uma boa representação, mas tem de ser visto como um filme isolado e não como uma sequela de uma saga, o que por um lado é bom para quem quiser ver o filme e não tenha visto os anteriores, que pode ver este à vontade, mas quem quiser acompanhar a história de Michael Myers pode saltar este filme, também sem problema nenhum. Em suma, o filme é um bom filme de thriller, afastando-se mais do terror, mas não deixando de ser interessante e que tem uma história que faz pensar sobre a sociedade em que vivemos e no modo como consumimos, por isso um filme que não desilude quem quiser ver um filme interessante, mas que nada tem haver com a saga Halloween.


Pontos Positivos:
- História
- Representação
- Thriller/Crime

Pontos Negativos:
- Pouco Terror
- Não tem nada haver como a saga Halloween

Rate:6/10

Friday The 13th Part 3


A terceira parte de uma das maiores saga do terror que não trouxe nada de novo ao que já se tinha feito nos filmes anteriores. O filme teve como bilheteira 36,7 milhões de dólares e com um orçamento de 2,3 milhões de dólares. As reacções foram mais negativas do que positivas, dizendo que este filme não chega nem de perto aos dois primeiros.
O filme começa onde acaba o anterior, onde Jason ferido entra numa loja e mata os seus donos. Mais um grupo de jovens que vai passar férias numa casa perto de Crystal Lake e são surpreendido quando Jason começa atacar quando está escondido num celeiro. A acção intensifica-se quando os personagens principais percebem-se da presença de Jason e têm de lutar pela a sua vida.
Este filme não traz nada de novo à saga. a não ser a introdução da máscara de hóquei que se tornou uma imagem de marca do Jason ao longo da história, mesmo com a tentativa de introduz o 3D não teve um grande resultado, mas também 30 anos depois o 3D também não conseguiu trazer muito aos filme que o tentaram introduzir, por isso é normal que na altura o 3D que não era comum, não funciona-se muito bem. Em termos da história, o filme faz o que já tinha feito e não explora mais do que um assassino a matar um grupo de jovens. Por isso o filme não conseguir ter grande interesse e a qualidade não é grande coisa, mas mesmo assim consegue não ser o pior da saga. 


Pontos Positivos:
- Vilão
- Mortes

Pontos Negativos:
- Efeitos
- História
- Representação

Rate: 4/10

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Friday the 13th: Part 2


O segundo filme de uma das maiores sagas do terror e a introdução de um dos maiores ícones do terror, tendo o seu lugar na história do cinema. O filme teve como bilheteira 21,7 milhões de dólares o que para a época já se podia considerar um grande sucesso. O filme teve uma recepção mista e estanha, pois foi dividida entre os espectadores e os críticos, gerando aquilo que acontece de vez em quando, em que os críticos não gostaram do filme e os espectadores até gostaram.
O filme começa com a personagem principal do filme anterior, dois meses depois a ser atacada e morta por Jason. A história recomeça cinco anos depois dos acontecimentos do primeiro filme, quando um grupo de jovens vão fazer um acampamento perto de Crystal Lake e são surpreendidos pela a própria lenda viva Jason, que pensavam não existir mas que está atrás deles, eliminando-os um a um, fazendo com que o grupo tenha de lutar para sobreviver a este terrível mal.
Para mim este é o melhor e o único filme da saga que é interessante e com alguma qualidade, pois explora mais que o primeiro filme, introduz um grande slayer killer e cumpre com o que promete o que é uma das qualidade de capitulo da saga. Uma curiosidade, este filme era para ser completamente diferente, pois a ideia inicial da saga não era introduzir o personagem Jason, mas sim fazer filmes de terror e mistério à volta da sua lenda, mas como o primeiro filme correu tão bem o produtores resolveram mudar a direcção e introduzir o personagem e assim criaram o mito vivo do terror. O que faz perceber um pouco melhor o final confuso do filme que teve algumas críticas e que levou a refazer essa cena e a ser reintroduzido no inicio do terceiro filme. Por tudo isto e mais o filme tornou-se um marco na história do terror e é obrigatório para qualquer fã de terror. 



Pontos Positivos:
- Vilão
- Terror
- História

Pontos Negativos:
- Representação
- Mortes

Rate: 7/10

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Satanic (2016)


O filme que junta uma das actrizes mais famosa da série Modern Family com o produtor de Walking Dead e o realizador convidado das séries The Originals, The Vampire Diaries e CSI. O filme foi estreado em poucas salas de cinema, passando quase logo para DVD em quase todos os países. As críticas têm sido quase todas negativas, apesar dos nomes por detrás do filme, devido à falta de importância e relevância no género.
A história relata a viagem de quatro amigos a Los Angeles que ficam num quarto onde ocorreu um crime, que muitos relacionaram ao satanismo. A acção intensifica-se quando o grupo segue um grupo satânico, assistindo a um ritual e são levados a entrar numa realidade que desconheciam, levando a episódios estranhos e sobrenaturais.
Para começar o filme é muito genérico e normal, o que faz com que não tenha grande relevância, sendo um dos grandes problemas, a ideia que o filme podia ter dado muito mais do que deu e fica-se no quase, deixando um vazio depois de o ver, não passando de uma promessa de algo que nunca acontece. Apesar da temática ser interessante, parece que poucos se arriscam a explorar e a expor mais sobre o assunto e aqui não é excepção, criando um enredo à volta de algo que quase nada é explorado no filme. Será sim um filme para ter na colecção e para os mais curiosos, principalmente para quem quiser ver como é que Sarah Hyland se safa no terror, se poderá ser uma nova Chloe Moretz ou não. 


Pontos Positivos:
- Tema
- Banda Sonora

Pontos Negativos:
- História
- Representação
- Pouco Terror

Rate: 4/10

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Angst


Um filme austríaco que é um tesouro europeu escondido do terror que influenciou realizadores como Gaspar Noé e filmes como Heny: Portrait of a Serial Killer. O filme não tem qualquer registo de bilheteira, mas percebe-se pelo seu historial que não foi um filme com grande sucesso financeiro. As críticas apesar de poucas tem sido bastante positivas, reforçando a ideia de mito que este filme tem à sua volta.
A história começa com um psicopata a ser libertado da prisão onde está por ter morto uma pessoa dez anos antes, apesar da sua falta de empatia e falta de arrependimento sobre o caso. Por não ter sido tratado, os seus desejos e vontades continuam, o que o faz procurar mais vitimas para satisfazer o seus desejos mais obscuros, encontrando o cenário ideal.
Este é um filme bastante interessante e diferente, pois é narrado e conhecemos todos os pensamentos do psicopata, as ideias que tem para matar, os seus desejos e até as razões que o levam a isso, dando uma perspectiva diferente da maior parte dos filmes, que se focam mais nas vitimas e não no agressor. A intensidade do filme é alta e temos acção desde logo, pois como nos é narrado o pensamento da personagem, mesmo quando as cenas não têm acção física, o que ouvimos é uma mente cheia de vontades e desejos obscuros que nos deixam à espera do pior. O filme só peca na parte técnica e apesar de ter uma boa banda sonora, a sonoplastia deixa muito a desejar, tal como algumas cenas de câmara e efeitos visuais, mas percebe-se por ser um filme que é quase amador e sem grande produção por trás, dando mais relevo à história que quer contar. Em suma é um excelente filme mas pouco conhecido que vai agradar à maior parte dos fãs de terror, principalmente aqueles que gostam de terror psicológico e filmes pouco "mastigados" que fazem o espectador ter trabalho de pensar.



Pontos Positivos:
- História
- Ambiente
- Personagem Principal
- Terror Psicológico
- Banda Sonora

Pontos Negativos:
- Som
- Câmaras
- Efeitos

Rate: 8/10

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

The Purge: Election Year


O terceiro e último filme de uma das trilogias de terror de mais sucesso dos últimos anos, que não podia ter saído num melhor ano do que 2016, ano de eleições americanas. O filme teve de bilheteiras 113.3 milhões de dólares, sendo o filme que mais receitas teve da trilogia, e foi produzido com 10 milhões de dólares, o que o torna um sucesso. As críticas são mistas, não dizendo que o filme é mau, também não é uma obra de arte, estando a meio das tabelas de quase todas as críticas.
O filme começa com uma família atacada na noite em que a purga é feita, deixando uma só sobrevivente, que mais tarde se torna senadora e candidata a presidente dos Estados Unidos, sendo defensora do fim do regime de purga. A acção começa quando no ano das eleições, a candidata Charlie Roan se expõe mais na noite da purga e é preparado um ataque para a matar, sendo que o seu guarda costa, Leo Barnes protagonista do filme anterior, e alguns dos seus apoiantes farão tudo para a manter viva com esperança que ela ganhe as eleições e acabe com a purga.
Esta era uma saga que gostei desde do primeiro filme e percebi logo que era diferente de muitos outros filmes do género porque mistura politica e a loucura humano no seu extremo e como essa junção pode ser perigosa. Num ano em que os Estados Unidos vão a eleições e um dos candidatos, poderia muito bem implantar este regime que vimos nesta saga, a ideologia e a história deste filme não poderiam fazer mais sentido. Sendo este o último filme, os argumentistas decidiram dedicar-se mais à história e deixar mais o terror de lado, o que pode aborrecer muitos, mas não deixaram de maneira alguma a sua imagem de marca que são as personagens instantâneas mas com um estilo e imagens fascinantes que vemos ao longo do filme, juntando armadilhas e efeitos visuais interessantes, o que garante a qualidade do filme, mas tornando-o mais num género de acção do que de terror. Esta é uma boa conclusão da saga mas deixa bem claro que não lhe vão pegar mais, tornando imperdivel para quem acompanhou os primeiros filmes, nem que seja para ver como termina a saga, mas não esperem um massacre em massas e o festival de gore que foi o anterior. 


Pontos Positivos:
- História
- Efeitos
- Som
- Personagens

Pontos Negativos:
- Pouco Gore
- Mais no mesmo

Rate: 7/10

terça-feira, 13 de setembro de 2016

The Descent


Um dos melhores filmes de terror de 2005 e um dos melhores filmes dos anos 2000 que ainda hoje é uma referência para o género. O filme teve de bilheteira 57 milhões de dólares um sucesso modesto para a qualidade do filme. As reacções ao filme foram positivas, tendo o filme ganho 8 prémios e entrado em listas de sites e revistas de referência do cinema e no terror em particular, tendo direito a uma sequela em 2009.
A história baseia-se numa aventura de amigas, que decidem aventura-se numa exploração às grutas perto do lugar onde decidiram reencontrar-se um ano depois de um grande acidente de viação que quase as matou. Depois de entrarem numa das grutas os problemas começam a surgir, deixando-as em pânico e a tentar tudo para sair dali o mais depressa possível e com vida, sendo surpreendidas com que encontram lá em baixo.
Este é um grande filme de terror que cria um ambiente claustrofóbico que nos tira o ar só de ver, o que mostra a capacidade que o filme tem de nos envolver nos cenários e na história, criando logo laços com as personagens, o que nos faz estar a torcer para que elas saiam todas vivas daquele inferno. Uma dica para tornar este filme mais intenso, é ver-lo num quarto às escuras, pois a sensação de aperto sente-se ainda mais e deixa-nos mesmo desconfortáveis, no bom sentido claro. Este é um filme imperdível para qualquer fã de terror e que se vai tornar um dos filmes favoritos de muitos de quem o ver, mas mesmo com isto tudo o filme perdeu alguma da sua relevância e atenção, o que é de estranhar.



Pontos Positivos:
- Terror
- Ambiente
- Representação
- História

Pontos Negativos
- Som
- Efeitos visuais

Rate:8/10

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

31


O novo filme do músico e realizador Rob Zombie que volta aos ambientes e às ideias dos seus primeiros filmes. Este filme ainda está nos cinemas por isso ainda não tem um valor de bilheteiras. O filme foi um projecto de crowdfunded bem sucedido. Até agora, as reacções são mistas, mas com uma tendência negativa, algo que já vem acontecer ao Rob Zombie desde dos remakes do Halloween.
A história começa com uma cena de um personagem pintado a falar com alguém que irá matar. A seguir o enredo acompanha um grupo que anda numa carrinha a viajar e que é obrigado a parar na estrada por esta ter bonecos de palha no seu caminho, são raptados e levados para um espaço onde lhes é dito que iram jogar um jogo chamado 31 e que o objectivo do jogo é tentarem sobreviver. Acção começa aqui, quando os personagens farão tudo para se safarem.
Este era um filme que já esperava algum tempo, pois sou fã do trabalho do Rob Zombie, com o trailer e com as notícias que iam saindo fiquei ainda mais interessado no filme. Apesar de ser verdade que o realizador voltou às origens e conseguiu aqui criar ambientes fantásticos e alucinantes, com personagens interessantes e com uma qualidade de actores de louvar para um filme que foi sujeito a crowdfunding, mas a história fica um bocado aquém do que se esperava, parecendo um Hunger Games mas R-18 e mostrando que existiam muito boas ideias mas que o Rob não soube o que fazer com elas, largando-as ao longo do filme, o que faz com que se vá perdendo a dinâmica ao longo da história, mas tendo um bónus fantástico que é ter um personagem que daria um excelente joker. O filme é interessante de ver e entretêm mas pode decepcionar os fãs mais exigentes, falhando em ser um retorno à glória por parte do Rob Zombie. 



Pontos Positivos:
- Cenários
- Personagens
- Representação
- Som

Pontos Negativos:
- História
- Câmaras
- Gore

Rate: 6/10

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Cat People (1942)


Um clássico de terror que se foi perdendo ao longo do tempo, baseado no conto The Bagheeta de 1930. O filme teve de bilheteira 8 milhões de dólares, sendo considerado um sucesso para a época. As críticas têm sido mistas e foi ganhando estatuto ao longo do tempo estando nas listas oficiais e mais importantes de filmes clássicos de terror, mas sem ninguém lhe classificar de uma obra de arte mais sim um filme importante e influente da época.
Uma mulher chamada Irina ao passear no jardim zoológico chama a atenção de Oliver que cai logo de encantos por ela e ao fim de alguns encontros, Oliver decide pedir Irina em casamento, sendo que ela aceita. Apesar do casamento e de um inicio feliz Oliver começa a desconfiar que algo se passa com a sua mulher e que ela terá um segredo que lhe anda a esconder, até ao momento que resolve investigar e descobrir o terrível mistério que a sua mulher esconde.
Este é um clássico e um filme antigo e por isso tem de ser analisado e visto com a noção das características e do conteúdo feito na altura. Apesar da sua qualidade em termos de representação, que é característico dos filmes mais antigos, principalmente pela a dificuldade em entrar em filmes e a sua formação ser feita na base do teatro, a sua produção deixa um pouco a desejar mesmo com os padrões da altura o que torna este filme estranho pelas cenas apresentadas. Por estas razões e mesmo tendo uma história interessante, este filme não consegue igualar aos filmes de terror de sucesso da época, um Dracula, Frankenstein, etc, mas mesmo assim consegue ter destaque para ser um clássico do terror e ter uma sequela e um remake. Em suma, é um filme principalmente para coleccionadores e para quem tiver curiosidade de o ver mas não é um filme que se destaque ou que deixe saudades depois de o ver.



Pontos Positivos:
- Representação
- Enredo

Pontos Negativos:
- Pouco Terror
- Produção

Rate:6/10

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

10 Cloverfield Lane


O filme de J.J. Abrams que foi feito no meio da produção da próxima saga de star wars e que mesmo assim consegue trazer a qualidade que já nos habitou e que o torna num dos melhores produtores do mundo. O filme teve um grande sucesso com uma bilheteira de 108,3 milhões de dólares, tendo sido gastos 15 milhões de dólares para o fazer. As reacções e as críticas foram quase todas positivos tendo sido considerado um dos melhores filmes de 2016.
O enredo segue a personagem Michelle que é abalroada ao sair de New Orleans e que quando acorda do choque encontra-se presa num quarto sem nada. A história desenvolve-se quando os personagens Howard e Emmett aparecem e Michelle tem que perceber qual os seus interesses e porque é que estão ali fechados, sem nunca poder confiar em ninguém.
Para começar bastava ter o nome de J.J. Abrams e de John Goodman para prever que o filme iria ser bom, mas nunca sabemos até termos posto os olhos naquilo que eles fizeram e aqui não falharam e conseguiram-nos dar um dos melhores filmes de suspense dos últimos tempos. Toda história é boa, mas o final faz com que peçamos mais filmes e uma continuação, pois quem vi-o o filme percebe que este pode ser bem o começo de uma saga de filmes com mais acção, ficção cientifica e terror que este primeiro. Isto mostra o poder e qualidade deste filme que nos consegue dar a volta às ideias várias vezes ao logo do filme sem sabermos que o que pensamos em certas alturas do filme não vai mais mudar, o que faz um ambiente de suspense fantástico. Este é sem dúvidas um dos melhores filmes de 2016 e que vai agradar à maior parte das pessoas, principalmente quem gosta de suspense e thriller, não vão encontrar aqui terror físico nem de sustos, mas sim um terror psicológico que é característico dos bons thrillers. 



Pontos Positivos:
- História
- Suspense
- Final
- Representação

Pontos Negativos:
- Cenários

Rate: 9/10

sábado, 20 de agosto de 2016

Aliens


Uma das melhores sequelas de um dos melhores filmes de terror de todos os tempos, provando que uma sequela pode ter vida própria. O filme foi um sucesso de bilheteiras com 183 milhões de dólares, sendo o maior sucesso para um filme R-rate na altura. O filme foi um sucesso e quase só teve críticas positivas, sendo que para alguns o filme conseguiu mesmo superar o primeiro, ganhando 2 oscares e mais 17 prémios.
A história continua a seguir Ellen e começa depois desta ter estado 57 anos a viajar congelada. Ao ser acorda, tenta convencer que a sua equipa foi atacada por aliens e que ela foi a única sobrevivente, algo que mesmo acreditando não era agradável de aceitar. Ao descobrirem algo estranho, parecendo ovos, preparam um equipa onde integram Ellen e mandam-os explorar o que podem encontrar, começando aí a aventura de terror que têm pela a frente.
Este é uma das minhas sagas preferidas e principalmente os dois primeiros filmes, dos quais para mim são difíceis de diferenciar, pois os dois tem qualidade a todos os níveis, mas tive de me focar nas falhas para poder dizer alguma coisa de jeito sobre o filme. O filme segue a ideia anterior, principalmente a tentativa de assustar a audiência com o terror e o pânico que os aliens criam aos personagens, mas percebe-se que a história deste segundo filme é meio reciclado do anterior, isto é, fazer com que um grupo de exploradores vá ao encontro de seres terríveis para se tentarem matar uns aos outros, sendo que aí podia ter sido mais original e criar uma nova forma de interacção entre estes dois grupos, mas mesmo assim a história circulante a isto consegue-nos deixar interessados até ao fim. O filme é considerado uma das melhores sequelas e podia até ser um filme em separado, que conseguia ter a mesma qualidade e sucesso que o primeiro. É sem duvida um clássico e um filme a não perder, principalmente para fãs de ficção cientifica, pois este é não só uma referência no género de terror mas também no de ficção cientifica.



Pontos Positivos:
- Efeitos Especiais
- Produção
- Terror
- Som

Pontos Negativos:
- Enredo

Rate: 8/10

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

The Other Side Of The Door


Um filme multicultural que mistura as crenças e as tradições de dois mundos para nos dar uma nova história de espíritos e sobrenatural. O filme teve 14 milhões de dólares de bilheteira, ficando a baixo das expectativas que se tinha. As críticas são mistas, mas a maioria considera que o filme apesar de não ser nada de especial está bem feito e produzido.
O enredo prende-se numa família que foi viver para India e que num certo dia teve um acidente de carro e o filho mais velho morre afogado no rio onde o carro cai. A mãe não se perdoando pelo o que aconteceu e por se sentir culpada entra em depressão, a sua empregada ao vê-la assim, diz-lhe que conhece uma maneira dela poder volta a falar com o filho mas que pode ser perigoso se ela não cumprir as regras. A história intensifica-se quando Maria não respeita as regras e abre a porta, trazendo coisas não desejadas para este mundo.
Este é mais um filme de terror que tendo qualidade técnica, não precisava de existir, pois acaba por ser mais um filme de espíritos que não traz nada de novo, apesar da tentativa de criar um ambiente diferente, buscando a cultura indiana, mas mesmo assim o resultado é fazer mais do mesmo que uma centena de filmes já fizeram, perdendo a oportunidade de explorar mais as crenças e a cultura indiana, profundando o terror nessas raízes. O que faz com este seja só mais um filme para quem gosta de terror se entreter durante um tempo e para os coleccionadores o terem na prateleira, não deixando saudades nem sendo um filme que irá marcar o terror. 




Ponto Positivos:
- Multicultural
- Sustos
- Produção

Pontos Negativos:
- Pouco Original
- Clichés
- História

Rate: 6/10

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Pride and Prejudice and Zombie


A comédia de terror que deu muito que falar em 2016 e que criou uma adaptação de uma das histórias mas queridas do mundo. Apesar da sua publicidade e do interesse que parecia existir, o filme foi um fracasso de bilheteira não tendo se quer chegado aos 28 milhões de dólares que custou a produzir, ficando pelos 16.4 milhões. As críticas são mistas percebendo-se que muitos não intenderam o que era este filme, principalmente se é de comédia ou de terror, e qual o seu interesse.
A história passa-se no século XIX em Inglaterra num mundo que foi infectado por zombies e que só os que têm treino e os que os sabem derrotar sobrevivem. O enredo desenrola-se com as irmãs Bennet e principalmente com Elizabeth, que apesar do mundo caótico onde vivem ainda arranjam tempo para encontrar um marido e tentar manter a vida social normal.
Para começar, tendo em conta que muitos não sabem, o filme é baseado num livro, com o mesmo nome, do autor Seth Grahame-Smith, e deste caso co-escrito pela Jane Austen, autora do livro original Pride and Prejudice, Seth que é autor de livros como Abraham Lincoln Vampire Hunter ou Unholy Night. Sobre o filme, apesar da grande produção e de ter um excelente casting, a questão de não criar grandes cenas de terror, meter medo ou susto, apesar dos zombies, deixa a desejar e acaba por tentar ser demasiado sério perdendo as características cómicas do próprio contexto mas mesmo assim surpreendeu-me pela positiva por tentarem contar uma história e não fazerem só palhaçadas à volta da temática. Em suma, o filme tinha bastante potencial para ser um Shaun Of The Dead ou um Zombieland mas por estar agarrada a uma história de encantar, não dá o melhor de si, resultando no falhanço que foi nos cinemas, mas não deixa de ser um filme decente e interessante que nos entretêm até ao fim



Pontos Positivos:
- Originalidade
- Sangrento
- Representação
- Caracterização

Pontos Negativos:
- História
- Pouco Terror
- Pouca Comédia

Rate: 6/10

domingo, 14 de agosto de 2016

Child's Play 2


A sequela do filme que deu ao mundo o boneco mais famoso do terror que traz mais terríveis brincadeiras para apreciar. O filme teve de bilheteira 35.7 milhões de dólares, menos 5 milhões que o primeiro. As críticas são mistas sendo que uns acham este filme melhor que o original e outros pior, mostrando a subjectividade do próprio filme.
A história começa com o retorno de Chucky que se julgava destruído, o boneco procura vingar-se de Andy e da sua mãe, começando a sua aventura nos lugares habituais onde o poderia encontrar, destruindo tudo e todos por onde passa.
Este é daqueles filmes que o interesse por ele muda muito conforme o que se gosta dentro do terror e por ser uma sequela já tem uma pressão maior. Mas apesar de ser mais do mesmo e quase igual ao anterior, este destaca-se por ser mais agressivo e ter mais terror desde inicio, dando mais destaque ao personagem principal chucky, mas que não é acompanhado por outros personagens e actores, tornando algumas parte tolas por más representações. O essencial está lá e ganha pontos por se enquadrar mais no terror que o primeiro mas não conta uma história tão consistente como o anterior, tornando-o um pouco banal.



Pontos Positivos:
- Efeitos especiais
- Terror
- Boneco Chucky

Pontos Negativos:
- Mais do mesmo
- Representação
- História

Rate: 6/10

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Hatchet


Mais um bom exemplo onde a comédia e o terror estão ligados para dar um filme interessante e consistente, sem perder qualidade do terror que nos propõem. O filme passou mais em festivais do que em salas de cinemas, não tendo registos de bilheteira nem de produção. As reacções foram mistas, tendo mais críticas positivas, sem considerar o filme algo espectacular mas sim um filme que agrade à maior parte dos fãs de terror, levando a ganhar prémios em alguns festivais.
A história relata a visita de um grupo de amigos a New Orleans para o carnaval, dois deles, Ben e Marcus decidem fazer uma tour e só encontram disponível uma viagem a um pântano assombrado. Sendo o guia inexperiente leva o grupo de turistas, que quiseram visitar o pântano, para  uma zona proibida e abandonada, indo ao encontro da lenda de terror daquela zona, tendo de lutar para sobreviver ao terrível personagem que os persegue.
Este filme faz lembrar os clássicos slasher movies, principalmente o Friday The 13th, dando desde logo um cariz cómico ao filme para que a audiência não perca o interesse na primeira parte que quase nada tem de terror, mas que vai preparando o inicio da história, aliás este filme inteiro é uma introdução aos dois filmes seguintes, mas quando acção chega, chega com força, percebendo que valeu a pena esperar, mas ficamos logo desapontados, pois o filme acaba sem dar aviso e a meio de uma cena, deixando-nos a perguntar "o que é que se passa?" até percebermos que foi o filme que acabou. Em suma é um filme interessante e agradável de ver, com bons apontamentos de terror e com um vilão que podia ficar para a história se a saga fosse mais publicitada, um filme para ter na colecção mas que não vai ficar para a história do terror.



Pontos Positivos:
- Vilão Interessante
- Cenas Sangrentas
- História

Pontos Negativos:
- Representação
- Algumas Ligações Comédia/Terror
- Pouco Terror
- Duração

Rate: 6/10

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Green Room


O filme que mistura, terror, thriller e punk, mostrando que as vezes basta pegar em algo já feito e dar-lhe uns toques para que se tenha algo novo para mostrar. O filme conseguiu apenas 3.7 milhões de dólares de bilheteira, devido a ter estreado em poucos cinemas e em poucos países. O filme teve uma recepção boa e as críticas são positivas, sendo já nomeado para prémios e já ter ganho alguns.
A história relata um episódio de uma banda de punk que foi tocar a Oregon e que no final do concerto se dirigiram para a "sala verde", como é normal, mas quando chegaram, deram-se com algo que não deveriam ter visto, pondo em risco as suas próprias vidas. A história desenrola-se a partir daqui, tendo os membros da banda de tentar sobreviver aos agressores que os querem matar por terem visto demais.
Apesar deste filme usar uma ideia básica e simplista, como o teen slasher, algo surgido e usado principalmente dos anos 70 e 80, consegue juntar outra ideia interessante, curiosamente surgida também nos anos 70, o punk. Green Room consegue assim dar algo diferente dentro do normal, mas apesar disso não deixa de ser demasiado previsível e normal no que toca ao argumento, mas ganha pontos por usar os clichés deste tipo de filmes com qualidade e de uma maneira que nos entretêm. O filme pode não ser original mas consegue ser consistente e ter qualidade, o que vai agradar à maior parte dos fãs de terror, principalmente os de terror físico e violento.



Pontos Positivos:
- Temática
- Representação
- Cenas Agressivas
- Banda Sonora

Pontos Negativos:
- Pouco Original
- Clichés
- Previsível

Rate:7/10

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

The Witch


Um dos filmes mais aguardados de 2016, sendo que em 2015 foi só exibido em festivais de cinemas, mas que passou a ser uma das maiores decepções do ano, apesar da sua grande publicidade e propaganda. O filme teve uma bilheteira de 40.3 milhões de dólares, o que se pode considerar um sucesso para um filme de 3 milhões de dólares de produção. O filme tem reacções mista e transformou-se aquele estranho caso onde os críticos de cinema aclamaram o filme mas o público nem por isso, ficando-se sem saber se o filme vale ou não a pena.
O filme conta a história de uma família no século XVII que foi expulsa da sua povoação por o chefe de família não acreditar em Deus. A família constrói uma quinta e vive isolada, onde começam a ter problemas e acontecimentos estranhos, principalmente protagonizados por Thomasin, o que vai revoltar o resto da família e levar a conflitos familiares mas Thomasin jura que não é ela a cria-los mas sim algo demoníaco.
Confesso que pus muitas expectativas neste filme e fui levado pela a onda de opiniões que glorificaram este filme como um dos melhores dos últimos tempos mas quando o vi, fiquei com aquela sensação de ter sido enganado e de ter me deixado levar. Primeiro posso começar por dizer que o filme está bem feito em termos técnicos e é um filme artístico, percebendo desde logo onde os críticos foram buscar a ideia de qualidade do filme, mas não passa disso, mesmo com as bons representações dos actores, desde dos mais novos aos mais experientes, o filme peca por não desenvolver o argumento de uma história que podia ter mais para dar e ficando muito longe do potencial que podia gerar com os acontecimentos que surgem ao longo do filme mas também por apesar de a temática ser interessante e estar ligado ao satânico e à bruxaria não criar momentos de terror nem físicas nem psicológicos que podiam muito bem dar mais interesse ao filme. Não deixa de ser um filme agradável e que até pode ser visto por quem não gosta muito de terror, mas vai decepcionar muito os fãs de terror que esperavam mais deste filme.



Pontos Positivos:
- Representação
- Tema
- Cenários
Pontos Negativos:
- Argumento
- Pouco Assustador

Rate: 6/10