The way everyone can enjoy it!

quinta-feira, 29 de junho de 2017

The Midnight Meat Train


Este filme baseia-se numa pequena história do grande realizador Clive Barker e que volta a trazer ao
grande ecrã as suas ideias e imagens de marca. O filme teve de bilheteira 3,5 milhões de dólares, o
que não se pode considerar um grande sucesso. As críticas são mistas, pelo facto de ser uma boa
adaptação da história Clive Barker, mas fica aquém para um filme de longa metragem, tendo mesmo assim sido nomeado para alguns prémios.
O filme relata a história de um fotografo que está a tentar ter sucesso e conseguir surpreender os seus futuros patrocinadores. Numa das suas voltas à cidade, Leon entra num dos últimos metros e assiste a um brutal e bizarro assassinato, ao que foge tentado mesmo assim fotografar o acontecido. O enredo desenvolve-se mais quando Leon percebe que no dia seguinte, não existe notícia nenhuma sobre o acontecido nem vestígios no metro, o que o faz investigar o caso entrando numa jornada perigosa, metendo a sua vida em risco para descobrir a verdade por detrás do caso e a história do bizarro personagem.
Este é daqueles filmes interessante, que nos vão deixar sempre divididos, tendo sido mais apropriado uma curta metragem mais intensa do que um filme que em certos pontos perde a intensidade para dar espaço a uma história mais longa. Apesar do filme ter conseguido prémios, principalmente pela representação dos seus actores principais e por Vinnie Joner ter conseguido mais uma primeira vez criar um personagem forte e icónico que daria para ser mais explorado em filmes posteriores. Por sua vez, o filme peca pelo enrolar da história e pelos efeitos que tem quando as pessoas são brutalmente atacadas, tornando o filme pouco credível nos momentos chaves de um filme de terror. Mas mesmo assim consegue atingir o que promete, uma hora e meia de terror e gore que deixa os fã de terror com alguma água na boca. 



Pontos Positivos:
- Representação
- Gore
- Serial Killer

Pontos Negativos:
- História
- Efeitos

Rate: 6/10

quinta-feira, 15 de junho de 2017

The Belko Experiment


Mais um filme que põe à prova o comportamento e a moral humana quando se encontra numa situação de perigo e não se tem opções viáveis a seguir. O filme não foi um grande sucesso de bilheteiras tendo conseguido só 10,6 milhões de dólares, com um orçamento de 5 milhões de dólares. As críticas ao filme têm sido mistas, sendo considerado um filme médio.
A história passa-se na sede da empresa Belko e tudo começa quando um grupo de pessoas consegue trancar os funcionários da empresa e obriga-los a jogar um jogo mortal, com pena de os matarem de qualquer maneira. A acção intensifica-se quando as pessoas começam a entrar em pânico e tentam tudo para sobreviver mesmo que isso implique matar os seus colegas.
Este é mais um daqueles filmes que mostram um teste social extremo para perceber quais, e se há, os limites a que uma pessoa pode chegar para sobreviver. Apesar de já haver alguns filmes com esta temática e alguns bem melhores que este, a reunião de bons actores e a explosão de gore que há a cada morte, é suficiente para este filme ser interessante e nos manter entretidos o filme todo, principalmente para perceber o que vai acontecer no final, que como quase todos os filmes do género deixam muitas questões por responder e um final aberto para possíveis continuações. Apesar do filme não ser nada de especial e que certamente irá passar ao lado de muitos, é um filme que vale a pena principalmente para quem gosta desta temática de jogos e testes mortais.



Pontos Positivos:
- Representação
- Gore

Pontos Negativos:
- História
- Falta de Originalidade

Rate: 6/10

terça-feira, 13 de junho de 2017

Get Out


Um dos bons filmes que 2017 nos tem para oferecer e que traz um dos temas da actualidade para o grande ecrã de uma forma brilhante. O filme foi um enorme sucesso, pois teve de bilheteira 250 milhões de dólares, com um orçamento de 4,5 milhões de dólares. O filme tem sido aclamado quer pela a crítica quer pelo público, o que demonstra o impacto que o filme conseguiu gerar a quem o viu.
A história começa com um casal interracial, Rose e Cris, que vão passar uns dias a casa dos pais de Rose para que esta dê a conhecer Cris como seu namorado. Uma das preocupações de Cris na visita é perceber qual a reacção da família de Rose ao saberem que ele é negro, este facto faz com que Cris comece a reparar em coisas estranhas e comportamentos fora do normal. A acção intensifica-se quando é feita uma festa e Cris encontra alguém que conhece mas que tem um comportamento estranho dando a intender que algo se passa e que a sua vida pode estar em perigo.
Este filme é uma lufada de ar fresco para o género e pode ser um ponto de viragem para que os filmes de terror/thriller voltem a ter mais conteúdo social e cultural, servindo de espelho para um lado da sociedade mais preconceitosa que nos últimos tempo tem se vindo a expressar-se mais. O filme consegue falar de racismo de uma forma inteligente e, até certo ponto, realista, as preocupações que existem nas relações interraciais e como o racismo pode ser levado ao extremo. A pitada de humor veio tornar um pouco mais leve o tema, pois o próprio realizador não teve "coragem" de por o final original, que seria Cris a ser preso pelo que aconteceu nas cenas finais, pois achou que iria incendiar mais as pessoas com este tema. Este filme vale mesmo muito a pena, pois consegue relatar muitos dos preconceitos e temas do racismo, não perdendo o focus de terror proposto para este filme, que na minha opinião podia ter sido mais puxado e terem cenas de torturas anteriores para chocar ainda mais o público, mas cumpre o que promete e quem o vir de certeza que não se vai arrepender e deve ficar na expectativa para percebe até onde este filme pode chegar e como pode influenciar o público que o vir. 


Pontos Positivos:
- Tema
- Representação
- História

Pontos Negativos:
- Pouco Terror
- Som

Rate: 7.5/10

quarta-feira, 7 de junho de 2017

The Boy


Mais um filme sobre bonecos maléficos que promete mais do que dá, não trazendo nada de novo nem especial a este sub-género de terror que muitos apreciam. O filme teve de bilheteira 64 milhões de dólares, com um orçamento de 10 milhões de dólares. As críticas têm sido bastante negativas, levando muito a considerar uma das maiores decepções de 2016, no que toca a filmes de terror.
Greta Evans, uma jovem americana, decide ir para o reino unido viver numa mansão como ama, mas para seu espanto e estranheza, a criança da qual tem de tomar conta não é real, é simplesmente um boneco. Quando os donos da casa decidem viajar e deixam Greta sozinha com o boneco, coisas estranhas começa acontecer, deixando Greta assustada. As coisas começam aquecer quando se percebe que alguma bizarro está por detrás dos estranhos acontecimentos.
O filme, tal como era de esperar, não conseguiu superar as expectativas, apenas da boa qualidade dos cenários e do ambiente, muito ao estilo dos filmes clássicos de terror principalmente nos anos 70, pois já é difícil fazer uma boa história original neste sub-género, que mesmo a saga conjuring não conseguiu fazer. Outro dos grandes problemas é o do costume, muito rastilho para pouco fogo, a qualidade da produção e publicidade, levou muitos a querer que o filme iria ser muito mais do que foi, o que para quem já anda nestas andanças sabe que muitas vezes, quando existe muita publicidade é por que algo não é tão bom, pois quando os filmes tem qualidade, quase nunca precisam de muita publicidade, a qualidade fala por si. Dito isto, este é mais um filme para encher as prateleiras das colecções e para passar uma hora e meia entretidos.




Pontos Positivos:
- Cenários
- Ambiente clássico/gótico

Pontos Negativos:
- História
- Originalidade

Rate: 5/10